Secretário dificulta acesso à rede de Saúde, inclusive de vereadores

Da Redação
30/06/2017 20:06:03
Secretário dificulta acesso à rede de Saúde, inclusive de vereadores

Segundo Miranda, o intuito da medida é "otimizar os serviços prestados à população"

As “regras” para visitação foram enviadas, por meio de ofício, ao presidente do Legislativo, Du Cazellato (PSDB)

Por meio de Comunicação Interna (CI), o atual secretário de Saúde de Paulínia, Claudio Ernani Marcondes Miranda, orientou os servidores da pasta e seus respectivos responsáveis que “todas as pessoas não autorizadas, não poderão circular nos serviços de saúde sem acompanhamento de servidor responsável, incluindo agentes políticos”, ou seja, Prefeito, Vice-Prefeito e Vereadores.  Além disso, as autoridades municipais terão que agendar horário na Secretaria para visitar qualquer serviço de saúde.

Em ofício encaminhado ao presidente Du Cazellato (PSDB), Miranda informou à Câmara Municipal as novas regras para visitação na rede municipal de saúde. Cada vereador recebeu uma cópia do documento. “Mais um dos tantos absurdos protagonizados pelo desgoverno instalado em nossa cidade. Em tese, até o próprio Prefeito terá que marcar hora para visitar, por exemplo, o hospital municipal.  Chega a ser surreal. Isso é um ataque contra o direito legal que o vereador tem de fiscalizar, inclusive, todos os serviços públicos, sem exceção”, comentou o vereador Tiguila Paes (PPS).

Falta de remédios, de médicos, de insumos, demora no atendimento, filas gigantes para cirurgias e exames, notícias de supostas negligências, entre outros, são alguns dos problemas que têm mantido o Hospital Municipal de Paulínia no topo das reclamações da população, nos últimos anos. “Não tem um dia que não sou chamado por munícipes com dificuldades no hospital municipal, principalmente no atendimento. Outro dia, constatei in loco um paciente com dores, deitado no chão à espera de atendimento. A população conta com a gente (vereadores) para ajudá-la, principalmente, quando o assunto é saúde. Por isso, querer restringir ou dificultar nosso trabalho é penalizar ainda mais a população”, disse Tiguila (PPS).

O Correio não conseguiu contato com o Secretário de Saúde de Paulínia para comentar o assunto.

Foto: TodoDia/Reprodução

Comentar