Documentos de vários anos podem ter sumido do Pauliprev

Da Redação
24/03/2017 20:03:06
Documentos de vários anos podem ter sumido do Pauliprev

O presidente da CEI, Tiguila Paes (PPS), analisa parte da documentação enviada pelo Pauliprev

Por meio da assessoria de imprensa da Câmara, o presidente da CEI que investiga o instituto disse que se houve mesmo sumiço será apurado

No final da tarde desta sexta-feira (24), por meio da assessoria de imprensa da Câmara Municipal de Paulínia, o vereador Tiguila Paes (PPS) enviou nota à imprensa sobre a CEI (Comissão Especial de Inquérito) instaurada dia 1º de fevereiro para investigar supostas irregularidades no setor de investimentos do Instituto de Previdência dos Funcionários Públicos de Paulínia – PAULIPREV.

Segundo ele, que preside a CEI, a  comissão recebeu parte da documentação que havia solicitado ao Pauliprev sobre todos os investimentos feitos pelo instituto com o dinheiro do servidor público municipal, de 2002 a 2016. A nota diz que a comissão pediu cópias de todas as atas de reuniões dos Conselhos Administrativo e Fiscal, bem como do Comitê Financeiro de Investimento, além de autorizações de aplicação e resgate (APR) e pareceres emitidos por consultorias de investimentos, referentes ao período de 2002 a 2016. No entanto, segundo Tiguila (PPS), a Comissão não recebeu nem um terço da documentação solicitada.

“Faltam documentos de vários anos. Por exemplo, só recebemos os comprovantes de aplicações e regastes efetuados com o dinheiro do servidor municipal nos anos de 2014, 2015 e 2016. Os dois anos anteriores vieram incompletos, e os demais nenhum comprovante sequer.  Já as atas de reuniões do Conselho Administrativo, que autoriza ou não os investimentos, o Pauliprev nos enviou apenas cópias de março a dezembro de 2015, janeiro a dezembro de 2016. De 2002 a 2015, ou seja, 13 anos, não veio absolutamente nada”, explicou o vereador.

Tiguila (PPS) informou também que, no último dia 16, a Comissão protocolou no Pauliprev o pedido de complementação dos documentos solicitados, mas segundo ele, a atual direção do instituto Pauliprev acredita que muitos podem ter sumido dos arquivos da entidade. “Se realmente restar comprovado o sumiço de documentação importante para esclarecer o que foi feito com milhões e milhões dos funcionários, a Comissão fará de tudo para identificar e responsabilizar os autores”, afirmou.

A documentação recebida pela CEI do Pauliprev será analisada por uma empresa de auditoria especializada, cujo processo para contratação já está em andamento na Câmara Municipal. Além de Tiguila (PPS), compõem a CEI os vereadores Antonio Miguel Ferrari, o Loira (SDC, vice-presidente; Roberto Aparecido Meschiati, o Kiko Meschiati (PRB), relator; Marcos Roberto Bolonhezi, o Marquinho Fiorella (PSB), sub-relator; e Fábia Ramalho (PMN), secretária.

Foto: Fabiano Moreira/Câmara Municipal de Paulínia

Comentar