Câmara quer acabar com “restaurante” e oferecer auxílio-alimentação aos funcionários

Da Redação
07/02/2017 18:02:13
Câmara quer acabar com “restaurante” e oferecer auxílio-alimentação aos funcionários

A Mesa Diretora do Legislativo Paulinense, autora da mudança na alimentação dos servidores legislativos

Segundo proposta da Mesa Diretora, o “AL” será de R$ 800,00 – vereadores não têm direito

Um projeto de lei (PL) da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Paulínia, presidida por Ednilson Cazellato, o Dú Cazellato (PSDB), propõe substituir o serviço de almoço oferecido aos funcionários legislativos,  por um auxílio-alimentação (AL) mensal, no valor de R$ 800,00 (oitocentos reais) - média de R$ 26,66/dia. Vereadores, servidores inativos, aposentados  e pensionistas não terão direito ao auxílio.

Atualmente, a alimentação dos servidores da Câmara é fornecida pela empresa Patrícia Aparecida Pelissari Chiteco Ragazzi – ME, cujo contrato de R$ 845.635,89 (oitocentos e quarenta e cinco mil, seiscentos e trinta e cinco reais e oitenta e nove centavos) termina no próximo dia 18 de março.

De acordo com o PL, será aberto um processo licitatório para escolha da empresa que fornecerá o auxílio-alimentação.  O valor do AL será reajustado anualmente pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo, nos moldes da Lei Municipal 3.415, de 30 de dezembro de 2014.

Foto: CMP

Comentar