“É uma ordem do prefeito fazer o Festival de Cinema de Paulínia, ainda este ano”, diz novo secretário de Cultura

Da Redação
03/01/2017 14:01:10
“É uma ordem do prefeito fazer o Festival de Cinema de Paulínia, ainda este ano”, diz novo secretário de Cultura

No 1º dia trabalho, novo secretário de Cultura anuncia retomada do festival de cinema e afastamento por 15 dias

Rubens Ewald Filho anunciou, também, que vai ausentar-se por 15 dias, devido a “compromissos assumidos anteriormente”

Em reunião com os funcionários da pasta, na manhã desta segunda-feira (2), o novo secretário de Cultura de Paulínia Rubens Ewald Filho anunciou a principal ordem que recebeu do prefeito Dixon Carvalho (PP): reativar o Festival de Cinema de Paulínia, a partir deste ano. Ewald Filho comunicou, também, que ficará ausente da Secretaria durante 15 (quinze) dias, devido a “compromissos assumidos anteriormente (à nomeação)”, os quais, segundo ele, “o prefeito já sabia”.

O Correio apurou que a Cultura será “tocada” por Daniel Galucci, secretariado pela funcionária pública de carreira Regina Argentin, que já trabalhou na pasta em 2013 e há cerca de dois anos estava afastada por motivos de depressão. Galucci acompanhou Ewald Filho na cerimônia de posse de Dixon (PP), conforme registrou, em primeira mão, o jornalista Mizael Marcelly, durante a cobertura na Câmara Municipal, onde o evento correu.

O secretário ainda ressaltou que “não vai perseguir ninguém”, pois, o principal papel dele na Secretaria é “reativar o festival de cinema, como tanto o prefeito quer”. A sede da Cultura foi aberta com uma hora de atraso, e a reunião com os funcionários começou por volta das 10h30. Hoje, Galucci já está substituindo Ewald Filho.

Histórico/Retorno
O primeiro contrato do mais famoso crítico de cinema do país com a Prefeitura de Paulínia foi em 2008, na última gestão Edson Moura (PMDB). Ewald Filho foi trazido pelo ex-prefeito e criador do projeto "Paulínia Magia do Cinema" para, junto com a então secretária de Cultura Tatiana Quintella, organizar a inauguração do Theatro Municipal “Paulo Gracindo” e o 1º Paulínia Festival de Cinema, realizado entre os dias 4 e 12 de julho daquele ano. Na época, o crítico recebia da prefeitura um salário de R$ 10 mil mensais.

José Pavan Junior, que venceu as eleições 2008, assumiu a prefeitura em 2009 e manteve Ewald Filho, cuidando do festival de cinema, até agosto de 2011, quando o então prefeito considerou “desnecessária” a despesa com o crítico e cancelou o contrato. Em 2012, ano eleitoral, o festival de cinema entraria em sua quinta edição, mas candidato à reeleição, Pavan resolveu cancelar o evento e destinar para programas sociais o dinheiro que seria gasto com o “tapete vermelho”.

Em julho de 2013, após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) autorizar sua diplomação e posse no lugar de Pavan, Edson Moura Junior e a então secretária de Cultura Mônica Trigo anunciaram uma versão “enxuta” do festival de cinema de Paulínia, marcando a “retomada” do evento e o retorno de Ewald Filho, como curador.  A 5ª edição do festival durou quatro dias e custou R$ 3,5 milhões - R$ 875 mil/dia -aos cofres públicos. 

Em maio de 2014, Moura Junior (PMDB) decidiu contratar Ewald Filho para prestar consultoria técnica e artística à Secretaria Municipal de Cultura, especialmente na realização do festival de cinema da cidade. Duração do contrato: 24 (vinte e quatro) meses; valor do contrato: R$ 360 mil – R$ 15 mil mensais. A contratação foi bombardeada pela opinião pública, pois o contratado não dava expediente na Prefeitura - só aparecia na época do festival.

No mesmo ano, Ewald Filho foi o curador da 1ª versão internacional do Festival de Cinema de Paulínia, que estendeu o tapete vermelho para estrelas brasileiras e internacionais, como Danny Glover ("Máquina mortífera"), Michael Madsen ("Kill Bill") e Jacqueline Bisset ("A noite americana"). Durante cinco dias, cerca de 600 atores passaram pela mostra internacional, que envolveu 300 profissionais na produção e custou milhões aos cofres públicos municipais.

Em 2015, após uma nova decisão judicial-eleitoral, José Pavan Junior reassumiu a Prefeitura e, de novo, anunciou o cancelamento do festival, além de rescindir o contrato com o crítico Rubens Ewald Filho, que, agora, em 2017, retorna à Paulínia como Secretário Municipal de Cultura, nomeado pelo novo prefeito Dixon Carvalho (PP).

Orçamento
A dotação orçamentária 2017 da Secretaria de Cultura de Paulínia é de R$ 4.284.000,00 (quatro milhões, duzentos e oitenta e quatro mil reais).  


Foto: Tulio Silva/Correio Imagem

Comentar