Construtora que comprou a área e vai construir 7 torres de apartamentos populares no Bom Retiro inicia terraplanagem cinco meses após o...

Da Redação
24/06/2016 13:08:00
Construtora que comprou a área e vai construir 7 torres de apartamentos populares no Bom Retiro inicia terraplanagem cinco meses após o previsto

Os imóveis serão financiados pela Caixa; a Prefeitura agilizou a documentação do empreendimento e pode ajudar na infraestrutura

[imagem] A Sugoi Incorporadora e Construtora construirá sete torres de apartamentos populares, cada uma com quatro andares, na região do Bom Retiro. O início das obras estava previsto para janeiro último, mas somente esta semana a empresa abriu a terraplanagem dos 65.825,48 metros quadrados do terreno, onde o empreendimento será erguido. Cada apartamento terá sala, cozinha, banheiro e dois dormitórios, distribuídos em 50 metros quadrados. 


O empreendimento foi anunciado em novembro do ano passado pelo prefeito José Pavan Junior (PSDB) e representantes da Sugoi, durante entrevista coletiva no Paço Municipal. Na ocasião, o prefeito ressaltou que o empreendimento é privado. “A empresa (Sugoi Incorporadora e Construtora) comprou a área, vai construir e financiar os apartamentos. A Prefeitura agilizará a tramitação dos documentos necessários para o empreendimento e poderá ainda contribuir com a infraestrutura”, disse ele, na coletiva de imprensa.

Por ser de interesse social, parte do valor unitário dos apartamentos – R$ 45 mil – será paga pelo programa Minha Casa Minha Vida e a outra parte – R$ 75 mil – pelos futuros proprietários, por meio de financiamento junto à Caixa Econômica Federal. Inicialmente a previsão para o término das obras, a partir de janeiro desse ano, era de 20 (vinte) meses, ou seja, setembro de 2017. Entretanto, em função do atraso no início das obras, esse prazo deverá ser estendido pelo menos até fevereiro de 2018.

Segundo a Prefeitura de Paulínia, famílias de baixa renda terão prioridade. “Os futuros proprietários e moradores dos apartamentos serão escolhidos pela Caixa Econômica Federal, entre as famílias cadastradas no Programa de Ação Social (PAS) de Paulínia e que se encaixarem nos critérios do Minha Casa Minha Vida (MCMV) e da Lei Municipal 3.007/2009, que inclui a reserva de 5% das unidades para idosos e Pessoas com Deficiência”, informou a assessoria de imprensa, em novembro passado.

Foto: PMP/Divulgação

Comentar