Relatora e dois desembargadores confirmam compra de votos em Paulínia, mas dois pedidos de vistas adiam conclusão de julgamento

Da Redação
18/06/2015 19:40:00
Relatora e dois desembargadores confirmam compra de votos em Paulínia, mas dois pedidos de vistas adiam conclusão de julgamento

[imagem] O colegiado do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) iniciou, na tarde de hoje (18), o julgamento de dois processos contra o ex-prefeito de Paulínia Edson Moura Junior (PMDB), acusado de compra de votos (captação ilícita de sufrágio) nas eleições municipais de 2012. Moura Junior e o pai dele, o ex-prefeito Edson Moura (PMDB), foram flagrados por uma “câmera escondida”, supostamente dando dinheiro a eleitores, em troca de votos, na campanha política de 2012. As imagens foram captadas dentro do quarto de uma residência, no bairro Bom Retiro, onde os acusados participaram de uma reunião política.


Diva Malerbi, desembargadora federal e relatora dos processos, apresentou seu voto contra os recursos de Moura Junior (PMDB) e foi seguida por outros dois magistrados. Entretanto, os desembargadores substitutos Alberto Zacharias Toron e Carlos Eduardo Cauduro Padin pediram vistas e o julgamento acabou interrompido, com 3 votos contrários aos recursos mouristas – ou seja, para três desembargadores a compra de votos está confirmada.  O TRE é composto por 7 (sete) desembargadores. 

Por outro lado, Moura Junior (PMDB), o ex-vice-prefeito Francisco Almeida Bonavita Barros e os ex-secretários Wilson Machado (Indústria e Comércio) e Arthur Augusto Campos Freire (Negócios Jurídicos) foram inocentados, por unanimidade, da acusação de uso indevido de meios de comunicação, também nas eleições municipais de 2012. A continuidade do julgamento dos processos por compra de votos ainda será definida pelo TRE-SP

Foto: TRE/SP

Comentar