“Versão impressa está suspensa, até concluirmos levantamento nos contratos de impressão e...

Da Redação
04/03/2015 18:46:00
“Versão impressa está suspensa, até concluirmos levantamento nos contratos de impressão e distribuição”, diz secretário de Governo

[imagem] Embora a Prefeitura de Paulínia tenha contratado a impressão e distribuição do Semanário Oficial do Município (SOM) por mais de R$ 1.300.000,00 (um milhão e trezentos mil reais), o jornal oficial não vinha sendo entregue nos domicílios paulinenses, há vários meses. O problema começou a ser levantado pelo Correio Paulinense Online em agosto do ano passado e no dia 19 de janeiro falamos com o então Secretário de Governo, Ademir Pereira.

Na ocasião, Pereira garantiu que o semanário estava sendo entregue, mas reconheceu falhas na distribuição dos 30 mil exemplares, produzidos semanalmente e pagos com o dinheiro do contribuinte paulinense. O secretário terminou dizendo que, para fiscalizar a empresa responsável pela distribuição, era necessário que as reclamações da população fossem feitas por e-mail ou pessoalmente, na sede da Secretaria.


Os contratos de impressão e distribuição do Semanário de Paulínia foram firmados, respectivamente, com as empresas RCN – Rede Campinas de Notícia Gráfica e Editora, empresa do grupo TodoDia, de Americana, e Jornal Cidade de Rio Claro Ltda, pelo período de 12 (doze) meses - dezembro de 2013 a dezembro de 2014. A tiragem do jornal oficial foi definida pelo então diretor de marketing Silvio Rogério de Oliveira, conhecido como Silvio Mota, neste Edital de Esclarecimento, no processo licitatório da distribuição.

Pelo valor total de impressão (R$ 1.075.932,00), homologado pelo então prefeito Edson Moura Junior (PMDB), cada edição do Semanário custou ao município quase R$ 22,5 mil, valor bem acima do praticado no mercado. A quantidade de páginas do Semanário variava de acordo com o volume de atos oficiais a serem publicados, mas o preço da impressão, aparentemente, não sofria alteração. 

Dados do Portal Transparência de Paulínia mostram que o ex-prefeito Moura Junior (PMDB) pagou, entre janeiro e dezembro do ano passado, R$ 1.013.859,00 (um milhão, treze mil, oitocentos e cinquenta e nove reais) de impressão e a empresa Jornal Cidade do Rico Claro ainda tem um saldo a receber de R$ 248.292,00 (duzentos e quarenta e oito mil, duzentos e noventa e dois reais). A somatória dos valores pagos e devidos ultrapassa o valor contratado em licitação.  

Ainda de acordo com o Transparência, além de distribuir o Semanário, a RCN (Jornal TodoDia) também publicava atos oficiais do Município. Somente em abril do ano passado, a empresa recebeu R$ 145.800,00, de publicação oficial. Entre os dois serviços, a RCN faturou (emitiu notas fiscais) contra a Prefeitura de Paulínia, em 2014, um total de R$ 389.954,82, tendo recebido R$ 324.129,08 – saldo a receber de quase R$ 66 mil. 

Outro lado

Nossa reportagem entrou em contato com a RCN, através do telefone do Jornal TodoDia, Fomos atendidos pelos senhores Delvino e Alex, ambos do departamento comercial. Seguindo orientação nos dada por Delvino, mandamos um e-mail ao sr. Alex, solicitando informações sobre a distribuição do Semanário de Paulínia, bem como em relação à prestação de serviços de publicações oficiais.

O e-mail foi enviado no último dia 23 (segunda-feira) e no dia seguinte (24) voltamos a falar com o sr. Alex, por telefone, e ele prometeu responder todas as questões no mesmo dia, o que não aconteceu até o dia de hoje (4).

Conversamos também com o atual secretário de Governo, Jurandir Matos, responsável pela produção do tabloide oficial. “Estamos levantando tudo sobre o Semanário Oficial do Município. Por enquanto, a versão impressa está suspensa, até concluirmos o levantamento nos contratos de impressão e distribuição”, afirma o secretário.  O Semanário pode ser acompanhado pela internet, no site da Prefeitura de Paulínia. 

Foto: Reprodução/Internet

Comentar