Paulínia começa a substituir pastas de papel por prontuários eletrônicos

Da Redação
07/08/2019 13:08:42
Paulínia começa a substituir pastas de papel por prontuários eletrônicos

"há pouco mais de seis meses no cargo, conseguimos colocar em prática uma medida vital para a saúde", diz Loira

A licitação que contratou a empresa para informatizar a saúde foi assinada pelo prefeito interino da cidade no final de junho

No mínimo, os últimos dez orçamentos de Paulínia destinaram verbas para a informatização do sistema de saúde do município. Entretanto, a medida para mudar a gestão do setor, garantir a correta aplicação de seus recursos e, consequentemente, melhorar e muito a qualidade do atendimento à população, nunca saiu do papel. O dinheiro para informatizar uma área tão prioritária sempre foi remanejado para outros fins, e, por exemplo, as informações dos usuários da rede continuaram armazenadas precariamente em pastas.

Após tantos anos, finalmente, a Prefeitura de Paulínia informa a informatização da saúde, iniciando pela Unidade Básica (UBS) do bairro Betel.  A licitação que contratou a empresa para realizar o serviço foi homologada pelo prefeito interino da cidade, Antonio Miguel Ferrari, o Loira (DC), dia 26 de junho. A despesa está estimada em pouco mais de R$ 4 milhões, e, prevê também a informatização de outros setores públicos, bem como o cadastramento eletrônico de todos os moradores da cidade. 

De acordo com a prefeitura, a substituição das pastas de papéis por prontuários eletrônicos, além de agilizar a marcação de consultas, exames, entre outros procedimentos, resolverá a grande discrepância entre o número de habitantes – cerca de 106 mil – e o número de cadastrados na saúde da cidade – mais de 250 mil

A digitalização dos dados dos usuários já começou e vai  permitir identificar cadastros repetidos e desatualizados. “Existem unidades (básicas de saúde) com área de cobertura de 10 mil habitantes que têm 30 mil pastas, só para ter uma noção. A digitalização vai centralizar e organizar tudo, otimizando o processo de forma assertiva”, pontuou, por meio da assessoria de imprensa, o secretário de Saúde, Luís Carlos Casarin. 

No final do mês passado, a secretaria de saúde promoveu um encontro entre os responsáveis pelas UBSs e a equipe da empresa de tecnologia contratada, que esclareceu dúvidas e detalhes sobre o sistema Saúde Digital. “Realmente uma evolução sem precedentes”, afirmou Casarin.

“Como vereador cobrei várias vezes a informatização da saúde, mas a resposta de quem estava à frente do Executivo sempre foi a mesma: que estavam estudando o assunto, levantando isso, levantando aquilo. Os anos se passaram e nada de informatizar. Como prefeito interino, há pouco mais de seis meses no cargo, conseguimos colocar em prática uma medida vital para a saúde,  que eles (os ex-prefeitos da cidade) passaram os mandatos estudando, saíram da prefeitura e não fizeram. E vamos em frente, a cidade não pode parar”, disse Loira (DC).

O Correio pesquisou no site da Câmara Municipal e localizou requerimentos (550/2017, 224 e 435/2018 do vereador licenciado Loira cobrando do Poder Executivo a informatização da saúde. Nas três ocasiões, o governo do ex-prefeito Dixon Carvalho (Progressistas) respondeu que a medida estava sendo estudada pelos setores competentes. 

Foto: Arquivo/CP Imagem

Comentar