Lucas Rodrigues, do Correio Paulinense Online, protestou contra a tentativa do vereador de impedi-lo de trabalhar

Da Redação
02/09/2014 22:47:00
Lucas Rodrigues, do Correio Paulinense Online, protestou contra a tentativa do vereador de impedi-lo de trabalhar

[imagem] “Por que você está me fotografando? Eu não quero que me fotografe”. Foi assim que o vereador Sandro Caprino (PRB) abordou o fotógrafo Lucas Rodrigues, do Correio Paulinense Online, que cobria a 16ª Sessão Ordinária da Câmara de Paulínia, realizada na noite desta terça-feira (2). 


Indignado com a postura autoritária do líder do governo Moura Junior (PMDB), Rodrigues ressaltou que estava ali trabalhando e que o vereador é uma figura pública. “Simplesmente, mandei ele calar a boca, pois a Câmara é um local público, ele é uma pessoa pública e eu só estava fazendo o meu trabalho”, conta o fotógrafo, que continuou  fotografando, normalmente. 

Durante a discussão, ocorrida no período em que a sessão ficou suspensa, para cumprimento de uma ordem judicial (leia matéria), Rodrigues esclareceu ao vereador que ele está na Câmara para legislar pela população. “Nesse momento, ele me disse que eu não havia votado nele, aí respondi que isso não importava, pois assim como o resto da população eu também pago o seu salário e ele deve trabalhar para todos”, afirmou o fotógrafo. 

O campineiro Rodrigo Pavane, mais conhecido como “boca de aluguel”, saiu em defesa do vereador Sandro Caprino (PRB) e ameaçou o nosso fotógrafo. “Depois toma um sossega leão e não sabe por que”, disse Pavane. Rodrigues não se intimidou, diante da ameaça do campineiro, e ressaltou que nem em Paulínia ele mora. Segundo informações, Pavane seria um “prestador de serviços” do vereador Sandro Caprino (PRB) e esta não é a primeira vez que o campineiro aborda o nosso fotógrafo. 

Outro lado

Nossa reportagem falou com Sandro Caprino (PRB) sobre o episódio.  O vereador usou o clima tenso da sessão para justificar o seu desentendimento com o fotógrafo do Correio Paulinense Online. “Mas fica em paz, pois eu não o impedi de trabalhar”, disse ele ao editor-chefe Mizael Marcelly. 

Foto: Lucas Rodrigues/CP Imagem

Comentar