Procurada por nossa reportagem, Mônica Trigo esclareceu que o registro foi feito em seu nome por ela ser titular da pasta

Da Redação
01/07/2014 21:20:00
Procurada por nossa reportagem, Mônica Trigo esclareceu que o registro foi feito em seu nome por ela ser titular da pasta

[imagem] O Correio Paulinense Online levantou que a página do Festival de Cinema de Paulínia na internet está registrada no nome da atual secretária de Cultura, Mônica Trigo Ribeiro, e não da Secretaria ou da própria Prefeitura de Paulínia, responsável oficial pelo evento. De acordo com o site Registro.br, o registro do domínio (nome do festival na internet) em nome da atual titular da Cultura foi feito dia 22 de novembro do ano passado, poucos dias antes da realização da quinta edição do festival, que aconteceu entre os dias 11 e 14 de dezembro.


Geralmente, o registro do domínio é feito em nome do dono da página na internet e não de terceiros, justamente para evitar prejuízos futuros, como, por exemplo, o real proprietário do site ter que pagar pela própria marca virtual. No caso da Secretaria de Cultura de Paulínia, um especialista em domínios na internet, ouvido por nossa reportagem, disse que o procedimento não é legal. “O ideal seria o site do festival ser registrado em nome da Prefeitura ou da própria Secretaria de Cultura, para evitar problemas no futuro, pois certamente haverá mudança no comando da pasta”, disse ele. 

Procurada por nossa reportagem, a Secretária Mônica Trigo explicou o registro em seu nome. Acompanhe!

Correio Paulinense Online – O registro do referido domínio em seu nome - Mônica Trigo Ribeiro – pressupõe alguma ilegalidade?

Mônica Trigo - Não. O registro foi feito em meu nome porque ocupo o cargo de Secretária de Cultura do Município.

CP Online – Mas, o domínio não deveria ter sido registrado em nome da Prefeitura, Secretaria de Cultura ou até mesmo de uma empresa terceirizada, escolhida através de licitação, para administrar e abastecer (matérias, fotos e vídeos) o site do Festival?

MT - O procedimento teve essa condução para que a Secretaria de Cultura pudesse assegurar uma fonte de veiculação do Festival de Cinema e também porque o domínio anterior estava em nome de terceiro sem vínculo com a administração municipal.  

CP Online -  Além do custo com a produção, a Prefeitura também paga para alguma empresa do ramo administrar e abastecer o site do Festival. Que empresa é essa, em que circunstâncias ela foi contratada pela municipalidade e, quais os custos com produção e manutenção da página?

MT- O site, assim como toda a comunicação do Festival de Cinema foi produzido pela empresa Feeling Eventos, legalmente contratada mediante processo licitatório.

Mônica Trigo não informou os custos da Prefeitura com a  Feeling Eventos, para produção, abastecimento e manutenção do site do Festival, que a cada edição tem o seu layout e conteúdo alterados pela empresa, o que gera novas despesas para o município.

Foto: Reprodução/Internet

Comentar