Sorte ou azar? A decisão será em plena sexta-feira 13, no “Luiz Perissinotto”, contra a Heringer, que conquistou a outra...

Da Redação
11/06/2014 17:47:00
Sorte ou azar? A decisão será em plena sexta-feira 13, no “Luiz Perissinotto”, contra a Heringer, que conquistou a outra vaga, goleando o embalado Braslab, por 3 a 0

[imagem] Por Lucas Rodrigues


As semifinais do futebol nos Jogos dos Trabalhadores aconteceram na noite de ontem (10), no Estádio Municipal “Luiz Perissinotto”, repletas de nervosismo e alegria. Os jogadores do Galvani, Egsa, Heringer e Braslab venceram a temperatura de apenas 17°C, mas duas equipes perderam e disputarão o terceiro lugar do torneio, na tenebrosa sexta-feira (13).  

Galvani, que venceu o Supermercado Calegaris, por 4 a 3, e o Egsa, que atropelou o Passaredo, por 7 a 1, na últimas partidas da segunda fase, fizeram o primeiro duelo da noite de ontem. Antes da partida, o técnico do Galvani, João Roberto Gomes, incentivou a equipe no vestiário. “Dentro de campo cada um tem que fazer o seu melhor. Eu monto o time que vai jogar, mas pode ser que eu erre, pois dentro de campo tudo pode acontecer. Mas dependendo da situação vou fazer substituições, pois futebol não se joga por amizade, futebol se joga por competência”, disse ele. 

O zagueirão Baldomero Geraldo, do Egsa, falou sobre o pensamento da equipe para a partida. “Vamos jogar em grupo, porque sozinho ninguém consegue nada e queremos a vitória. Temos que criticar, mas desde que seja construtivamente, porque só assim teremos chances de alcançar o título”, falou o jogador. 

Sobre a motivação do Galvani, quem falou foi o atacante Diego. “Nosso time está bem motivado. Para nós este jogo é muito importante, pois faz tempo que não ganhamos um campeonato”, observou. 

Com a bola rolando, as faltas duras e reclamações tomaram conta do jogo. A área técnica ficou pequena para o comandante do Egsa, Valmir Barbosa, que não parou de falar com a arbitragem e ao mesmo tempo cobrar melhores ações de seus jogadores.

Dentro de campo os times erraram muito e pode-se dizer que a primeira etapa se resumiu no gol do Galvani, marcado pelo 11 Gabriel Pinto, e pelo desperdiçado por Manases Silva (9), do Egsa, que aproveitou erro de saída de bola do goleiro adversário, mas mandou na trave. Depois disso foi só e o tempo inicial terminou 1 a 0, para o Galvani. 

Na volta do intervalo , a Egsa mudou a postura,  foi para cima, buscando o empate e conseguiu. Nos minutos iniciais o 5 Joalheninton Santos deixou tudo igual e na sequência quase marcou outro, com uma bela cobrança de falta que parou nas mãos do goleiro Robson Costa. Durante grande parte do segundo tempo o Egsa jogou com um jogador à  mais, pois o atacante 9 Diego Campos, do Galvani, tomou o vermelho direto, após reclamar da arbitragem.

Mesmo assim o Egsa não aproveitou para virar o placar e faltando cerca de 2 minutos teve o 17 Kelvin Santos expulso, ao tomar o segundo cartão amarelo, depois de falta dura em cima do 7 Silvio Silva, do Galvani. Mas logo o juiz apitou fim do jogo, que terminou empatado em 1 a 1, levando a decisão, por uma das vagas da final, para os pênaltis. 

Bateram pelo Galvani: 7 Silvio Silva, 8 Marcos Gimenes, 15 Marcelo Moura, 4 Souza Silva e o 13 Cristian; e pelo Egsa o 5 Joalheninton Santos, 3 Ivan Dutra, 6 Rafael Henrique, 15 Romarinho  e o 10 Cleytinho.  O herói da decisão foi o goleiro 1 Evaldo Santos do Galvani que defendeu a cobrança do 15 Romarinho e teve sorte com 3 Ivan Dutra e 10 Cleytinho, que chutou para fora e mandou na trave, respectivamente. O Galvani errou apenas com o 15 Marcelo Moura e o 13 Cristian nem precisou bater. Então a equipe Galvaniense venceu nos pênaltis por 3 a 2, e está classificada para a grande decisão do futebol dos Jogos dos Trabalhadores. 

Na outra semifinal, a Heringer passou fácil pelo Braslab, que estava embalado no torneio. A empresa de fertilizantes dominou o jogo, principalmente na primeira etapa, depois de marcar com o 10 Pererê, que esbanjou tranquilidade e qualidade ao chutar de fora da área e colocar no canto direito do goleiro. Com esse belo gol, o primeiro tempo terminou 1 a 0 para a Heringer. 

O segundo tempo teve como grande destaque o entrosamento entre o 10 Pererê, 7 Didier  e o 9 Diogo de Souza. O trio fez o que quis com a zaga adversária, pois o camisa 10 foi o maestro e dava segurança para os companheiros partirem para cima e deu resultado. O  9 Diogo e 7 Matheus Didier balançaram as redes, uma vez cada,  e concretizaram a goleada de 3 a 0 da Heringer em cima do Braslab e garantiram o time na final, contra o Galvani.

Confira a programação da final:

19:00 hs – Braslab x Egsa ( Decisão do terceiro lugar)                     
20:30 hs – Galvani x Heringer ( Final)                    

Fotos: Lucas Rodrigues/CP Imagem

Comentar