Segundo Sandro Caprino (PRB), cerca de 70% dos remédios comprados já foram entregues

Da Redação
10/06/2014 18:03:00
Segundo Sandro Caprino (PRB), cerca de 70% dos remédios comprados já foram entregues

[imagem] Uma reportagem do programa Balanço Geral (TBV/Record) de ontem (09) mostrou o casal de aposentados Joaquim Ratti da Silva e Olivia Lacerda da Silva indignados com descaso na Saúde Pública de Paulínia. Segundo a reportagem, seu Joaquim e dona Olivia sofrem de problemas cardíacos e precisam tomar uma caixa, cada um, por mês de Cloridrato de Sotalol, prescrito para arritmia. Mas, segundo os pacientes, o remédio está em falta na rede municipal, há pelo menos oito meses. 


De acordo com o aposentado, a Secretaria de Saúde informou que não tem previsão para resolver o problema. “Eles disseram que o processo está na mesa do prefeito e que falta apenas o prefeito assinar”, disse seu Joaquim à TVB. Já a esposa dele, além do problema cardíaco, sofre de hipertensão e da coluna, e precisa tomar vários medicamentos, que também ela não consegue encontrar nas farmácias das Unidades Básicas de Saúde (UBS). “O mês passado fui lá e só tinha um. Na Farmácia Popular eles também não dão todos e aí tenho que comprar”, afirmou dona Olivia.  Ela e o marido vivem com um salário mínimo por mês, insuficiente para os gastos da casa e remédios, por isso recorrem à familiares e amigos para não ficarem sem os remédios. 

“Vou na secretaria de Saúde direto, me humilhando, e a palavra é sempre a mesma: NÃO TEM”, disse Seu Joaquim. O aposentado também denunciou que precisa de um aparelho auditivo, mas que até agora a Prefeitura não atendeu o pedido. “Fiz todos os exames, já fui lá umas quatro ou cinco vezes, só perdendo tempo, falaram que em quinze ou vinte dias o aparelho ia chegar, mas vai fazer um ano e até agora nada”, protestou ele.

A reportagem termina com um apelo indignado do casal às autoridades da Saúde de Paulínia. “A gente precisava que tivesse os remédios não só para nós, pois tem muita gente precisando.  Precisava que liberasse os nossos remédios, porque como vamos comprar? ”, disse dona Olivia. “Eu estou revoltadíssimo porque a situação está muito ruim, inclusive para mim, porque eu fui muito humilhado, em tudo, pelo governo federal, estadual e municipal. Eu sei que estou acabado”, finalizou seu Joaquim.

Segundo o Balanço Geral, a Prefeitura de Paulínia confirmou a falta do Sotalol e que após a exibição da matéria o casal recebeu o remédio. 

Governo

O vereador Sandro Caprino, líder do governo Edson Moura Junior (PMDB), afirmou na sessão da Câmara de terça-feira (3) que a Secretaria Municipal de Saúde já entregou cerca de 70% dos remédios comprados para a rede. Em outra ocasião, também durante uma sessão legislativa, Caprino (PRB) informou a compra de R$ 20 milhões em medicamentos, para abastecer as Unidades Básicas de Saúde e o Hospital Municipal de Paulínia. Segundo o vereador, todas as informações foram lhes passadas pelo secretário de Saúde, Renato Cardoso. 


Foto: Reprodução/Vídeo

Comentar