O prefeito cassado Moura Junior (PMDB) chama “Menezes” de favela, xinga Pavan (PSB) de pilantra e é vaiado pela...

Da Redação
21/04/2014 16:40:00
O prefeito cassado Moura Junior (PMDB) chama “Menezes” de favela, xinga Pavan (PSB) de pilantra e é vaiado pela população

Mizael Marcelly

[imagem] Sob um forte esquema de segurança e com a entrada do Theatro Municipal de Paulínia controlada por cargos comissionados, o prefeito Edson Moura Junior (PMDB), que está no comandando da Prefeitura sustentado por uma liminar do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), pilotou, na manhã desta segunda-feira (21), a entrega parcial do 1º módulo do Residencial Pazetti, no bairro Saltinho. No total deveriam ter sido entregues 372 casas, entretanto muitas famílias acabaram não recebendo as chaves e ainda foram impedidas de entrarem no teatro. A Secretaria de Habitação não informou os motivos.


Além de prefeito e vice cassados pela Justiça Eleitoral e do secretário de Habitação, Danilo Garcia, participaram da entrega os vereadores Tiguila Paes (PRTB), Danilo Garcia (PCdoB), Edilsinho Rodrigues (PPS), Gustavo Yatecola (PTdoB), Sandro Caprino (PRB), João Mota Pinto (PSDC), que integram a base mourista na Câmara Municipal de Paulínia

Mais uma vez, o prefeito cassado Moura Junior (PMDB) baixou o nível do discurso ao chamar o Acampamento Menezes de favela e xingar o ex-prefeito José Pavan Junior (PSB) de pilantra. “É inadmissível que em nossa cidade haja favela. Vocês sabem as consequências que uma favela traz para o município”, afirmou ele. Em seguida, o prefeito entrou em contradição: “E não vou admitir preconceito com aquelas famílias”. Moura Junior (PMDB) foi aplaudido por vereadores aliados e cargos comissionados convocados para a entrega, mas muito vaiado pela população do Pazetti.

Sem saber ao menos o valor médio das parcelas pagas pelos compradores do Pazetti, Moura Junior (PMDB) teve que pedir ajuda ao secretário de Habitação, Danilo Garcia. “Uma média de mil, mil e cem reais, dependendo da entrada”, explicou o secretário. Em seguida, o prefeito cassado confirmou que as 198 casas do terceiro e último módulo do residencial serão vendidas aos moradores do Acampamento Menezes por parcelas de meio salário mínimo mensais. Outra vez o público reagiu com fortes vaiais, pois os compradores dos primeiro e segundo módulos desembolsaram até R$ 30 mil de entrada, ainda pagam pré-obra e pagarão parcelas de até R$ 1.600,00 (mil e seiscentos reais) por mês, a partir do momento que ocuparem os imóveis. “É isso mesmo”, retrucou Moura Junior (PMDB).

[video]

O prefeito ressaltou que ficou observando os movimentos políticos durante o período em que está no governo. “É importante que vocês saibam que parte das pessoas que estão envolvidas neste movimento são envolvidas com o ex-governo que passou aqui, daquele pilantra”, disse ele, referindo-se ao ex-prefeito José Pavan Junior. Mais uma vez, o público reprovou, através de vaias, a postura do atual Chefe do Executivo Municipal, mantido no cargo pelo TRE, até o julgamento final do processo em que foi condenado em primeira instância por fraude nas eleições municipais de 2012.

No final, o prefeito tentou minimizar os efeitos negativos de suas declarações, mas não foi perdoado pelo público. “Estamos conduzindo o governo de forma justa, de forma correta para que o nosso povo e vocês sejam sempre bem atendidos por nós”, encerrou ele, sob uma forte “chuva de vaias”. 

Tentamos ouvir José Pavan Junior (PSB) sobre as declarações de Moura Junior (PMDB), mas não conseguimos localizar o ex-prefeito.

Os principais bastidores da entrega parcial do 1º módulo do Residencial Pazetti, você confere amanhã na coluna Deixem-me Falar...

Fotos: Reprodução/Vídeo 

Comentar