De julho do ano passado a fevereiro deste ano, Prefeitura e Servidores depositaram quase R$ 50 milhões nos cofres do instituto

Da Redação
25/03/2014 13:39:00
De julho do ano passado a fevereiro deste ano, Prefeitura e Servidores depositaram quase R$ 50 milhões nos cofres do instituto

[imagem] Logo após tomar posse, dia 16 de julho passado, o prefeito Edson Moura Junior (PMDB) nomeou Mário Lacerda Souza para a Presidência do Pauli Prev. Uma das primeiras ações do novo gestor do fundo de pensão do servidor de Paulínia foi a recontratação da Plena Consultoria Financeira, que teve o contrato revogado na gestão Esdras Pavan.


De lá para cá, os investimentos do Pauli Previ em aplicações variáveis (bolsa de valores) pulou de quase R$ 116 milhões em junho de 2013, um mês antes de Moura Junior (PMDB) ser empossado e dar posse à Lacerda, para quase R$ 168 milhões, o que corresponde à 23,49% dos R$ 712.966.818,53 de patrimônio líquido do instituto. A diferença neste período representa um aumento de quase R$ 52 milhões em aplicações indicadas pela Plena Consultoria. Estes números estão no site do Pauli Prev para consultas públicas (institutopauliprev.com.br). 

Na Nota dirigida aos servidores de Paulínia, dia 14, o presidente Mário Lacerda destaca que quando assumiu a presidência do Pauli Prev, em julho de 2013, “o Patrimônio Líquido do Instituto era de R$ 664.238.854,87 e  hoje, o valor está em R$ 712.966.818,53, resultando no crescimento em suas contas de + R$ 48.727.963,66”. 

Na verdade, este aumento não é resultado de nenhuma ação da gestão de Lacerda, mas sim fruto da contribuição que a Prefeitura e os Servidores Municipais fazem todo mês na conta da Pauli Prev. Ou seja, como empregadora a Prefeitura recolhe mensalmente 11% da folha dos servidores para o fundo de aposentadoria e os servidores contribuem com mais 11% de seus salários, totalizando 22%. Em média, o Pauli Prev recebe de patrão e empregados cerca de R$ 6 milhões/mês.

Foto Cláudia Arantes/CMP

Comentar