Esdras Pavan ficou interinamente no cargo, de agosto à dezembro de 2012

Da Redação
25/03/2014 13:27:00
Esdras Pavan ficou interinamente no cargo, de agosto à dezembro de 2012

[imagem] A Plena Consultoria atuava em Paulínia, desde 2008. Em agosto de 2012, quando assumiu a presidência do Instituto Pauli Prev, Esdras Pavan, ex-secretário de Planejamento de Paulínia, cancelou o contrato com a empresa, devido à informações do Ministério da Previdência que o grupo “mandava” no Pauli Prev, atuando inclusive em assuntos internos do Instituto. Acompanhe!


Correio Paulinense - Por quanto tempo o senhor presidiu o Instituto de Previdência dos Funcionários Públicos de Paulínia??
Esdras Pavan - Fui Diretor-Presidente do Pauli Prev de agosto à dezembro de 2012.

CP – Quais os investimentos feitos em sua gestão com o dinheiro dos servidores?
EP - Durante minha gestão, exceto dois investimentos em fundos administrados pela empresa NSG CAPITAL, todos os demais foram realizados em fundos da Caixa Econômica Federal.

CP - O que o senhor pode nos dizer sobre as acusações feitas pelo atual Presidente, do Instituto, Mário Lacerda, em relação aos investimentos realizados nos fundos administrados pela empresa NSG CAPITAL?
EP Primeiramente, é bom dizer antes de eu assumir o Pauliprev, o instituto já possuía 30 milhões de reais investidos em fundos administrados pela NSG e por algum motivo a assessoria da época, que era a empresa Plena Consultoria de Investimentos, indicou que este montante fosse retirado dos fundos. Quanto aos dois investimentos, um foi de 10 milhões de reais,  que até o momento do resgate já tinha tido um excelente rendimento e estava com um saldo de mais de 11 milhões de reais. 

Mas o atual presidente, afirmando que o fundo era de risco solicitou o resgate, mesmo sabendo que toda aplicação resgatada antes do prazo, há de se pagar o que o mercado chama de penalidade, que neste caso foi de 30% Ou seja, ficou comprovada a liquidez do fundo que pagou o resgate, mas infelizmente por ter sido feito antes do prazo, houve a penalidade de 30%.

O outro investimento foi de 28 milhões de reais, que segundo o próprio site da Pauliprev, diz que hoje já está com um saldo de mais de 31 milhões de reais. Para falar a verdade gostaria o atual presidente também solicitasse o resgate deste fundo.

CP – Qual a sua visão sobre a empresa Plena Consultoria de Investimento? 
EP - Quando assumi a presidência a empresa Plena era a consultoria que trabalhava para o Instituto. Acontece que já naquela época existia um relatório do Ministério de Previdência, dizendo que a empresa Plena “mandava” no Pauli Prev, ou seja ela tinha controle sobre as aplicações realizadas e mais algumas tarefas que deveriam ser internas do instituto.

Devido à estas informações do relatório do Ministério da Previdência, minha primeira ação foi encerrar o contrato com a empresa Plena e não suspender como o atual diretor presidente está fazendo, agora.

Assim que comuniquei ao Sr. Henrique Martins, em uma reunião com um dos sócios diretores da empresa Plena e o então funcionário do Pauli Prev , Juliano Merkes, sobre o encerramento do contrato, o Sr. Henrique com o dedo em riste me disse que eu e o meu Prefeito iríamos saber com quem estávamos lidando. Confesso que naquela oportunidade não entendi tamanha agressividade, sendo que o valor cobrado pela empresa para prestar os serviços ao Pauli Prev era de aproximadamente 500 reais.

CP – O senhor tem acompanhado os noticiários sobre a operação Fundo Perdido da Policia Federal, que prendeu 7 pessoas, inclusive sócios-diretores da empresa Plena?
EPTenho sim. Veja bem, isso só veio a comprovar que eu estava certo nas minhas decisões tomadas em 2012. Nunca uma empresa que é consultora de um instituto pode cobrar comissão para indicar investimentos. Fazendo um comparativo com o mundo jurídico se ela trabalha para os dois lados ela passa a ser advogada de acusação e defesa ao mesmo tempo. Quanto ao instituto há de se fazer uma auditoria séria,contratada por entidades externas como Câmara Municipal, ou mesmo por servidores municipais, para saber se os fundos indicados pela empresa Plena, para Paulínia, também são “temerários” como afirma a Policia Federal. 

CP - Qual a sua conclusão sobre estes acontecimentos?
EP - Graças a DEUS, com o resgate realizado do fundo indicado pela NSG CAPITAL e agora este acontecimento com a empresa Plena, comprovam que eu estava certo nas minhas ações.

Foto: Arquivo Pessoal

Comentar