O fato aconteceu na madrugada de hoje (28), quando Cesar Augusto de Mattos chegava em casa no Santa Terezinha

Da Redação
28/02/2014 17:02:00
O fato aconteceu na madrugada de hoje (28), quando Cesar Augusto de Mattos chegava em casa no Santa Terezinha

[imagem] Por volta das 01h55 da madrugada de hoje (28) o guarda municipal Cesar Augusto de Matos compareceu à Delegacia de Polícia de Paulínia para registrar um boletim contra um indivíduo que teria disparado três vezes contra o veículo oficial Toyota/Corolla, usado por ele para fazer a segurança do prefeito Edson Moura Junior (PMDB).  


Na delegacia, Mattos contou que chegava em sua residência, no bairro Santa Terezinha, quando uma caminhonete teria parado atrás do Corolla e um homem saiu do carro pedindo que ele descesse. Ao perceber que o suspeito estava armado, Mattos ligou para o ex-secretário Arthur Augusto Campos Freire, relatando o ocorrido. Freire então acompanhou o GM até a delegacia, onde figurou como testemunha.

Segundo Mattos, quando o homem desceu da caminhonete foi na direção da porta do carro onde ele estava sentado, ou seja, a porta do motorista. Entretanto, os tiros supostamente disparados pelo homem atingiram a porta do lado do passageiro do Corolla.  Ainda de acordo com o segurança do prefeito, o suspeito fugiu em seguida. 

No momento da ocorrência, o secretário de Segurança Pública Cícero Luiz de Brito estava na delegacia acompanhando um boletim envolvendo à distribuição da Edição Especial de Aniversário de Paulínia do Jornal Correio Paulinense (todos os detalhes sobre esse fato você confere na segunda-feira, com o jornalista Mizael Marcelly). Brito deixou a delegacia e depois voltou acompanhado do ex-secretário Freire e do GM Mattos.

O caso foi registrado na delegacia apenas como “disparo de arma de fogo”, embora as características apontem para uma tentativa de assaltou ou homicídio. A polícia ainda não tem pistas sobre a identidade do suspeito.  Tentamos localizar o GM Mattos, mas não conseguimos. O secretário de Segurança e o ex dos Negócios Jurídicos também não foram localizados por nossa reportagem, para falarem sobre o assunto.

Foto: Lucas Rodrigues/CP Imagem

Comentar