Retrocesso: dez vereadores se “rendem” e aprovam “slogan mourista” para o Paço Municipal

Da Redação
26/12/2013 16:02:00
Retrocesso: dez vereadores se “rendem” e aprovam “slogan mourista” para o Paço Municipal

[imagem] Por decisão da maioria dos vereadores, o Palácio 28 de Fevereiro, sede do governo municipal, volta a ser chamado Palácio “Cidade Feliz”. A mudança proposta pelo prefeito Edson Moura Junior (PMDB) foi aprovada na 8ª Extraordinária e última Sessão Legislativa do ano, por 10 votos a 5. A “homenagem” ao ex-prefeito Edson Moura (PMDB), que usou o slogan “Cidade Feliz” em suas campanhas políticas de 1992/2000 e 2004, teve o apoio dos vereadores Gustavo Yatecola (PTdoB), Sandro Caprino (PRB), Danilo Barros (PCdoB), João Mota Pinto (PSDC), Zé Coco (PTB), Marquinho da Bola (PSB), Du Cazellato (PP), Edilsinho Rodrigues (PPS), Custódio Campos (PT) e do presidente da Casa, Marquinho Fiorella (PP). Votaram contra a mudança: Fábio Valadão (PROS), Simeia Zanon (PROS), Dr. João Mota (PT), Angela Duarte (PRTB) e Tiguila Paes (PRTB).


Em outubro de 2004, o próprio ex-prefeito conseguiu aprovar na Câmara a denominação Palácio “Cidade Feliz”, através do Projeto de Lei 31/2004. Na época, o presidente da Casa era o ex-vereador e atual Secretário de Governo Jaime Donizeti Pereira, o Jaiminho, e a proposta foi aprovada por unanimidade. Na administração José Pavan Junior (PSB), 2009/2012 a sede do governo municipal voltou a se chamar Palácio 28 de Fevereiro. “Palácio 28 de Fevereiro significa o registro de uma dia histórico: o dia em que Paulínia nasceu. Por isso, não faz sentido  o prédio da prefeitura ser denominado de outra forma, principalmente, por qualquer tema político específico”, comentou o ex-prefeito, na época.

Quando propôs a mudança, em 2004, o então prefeito Edson Moura (PMDB) justificou dizendo que Paulínia ficou conhecida dentro e fora do país como “Cidade Feliz”. A retomada do slogan será sancionada pelo atual prefeito, filho de Moura.

Repercussão

O grupo É Paulínia lançou uma enquete sobre o tema e a maioria do participante votou contra a mudança. Até a publicação desta matéria, 181 pessoas haviam votado: 33 favoráveis e 148 contra. “Meu Deus, esse homem está sem noção...Ele acha que a história de Paulínia é ele....sem noção de história, simplesmente”, comentou Dálete Oliveira, participante do grupo.  Já para Fabiane Secomandi “Não faz sentido colocar um slogan de campanha... seja de quem for...Palácio 28 de fevereiro tá muito bom... ou palácio José Paulino Nogueira, algo que tenha a ver com a história da cidade,mas slogan de campanha, aí não...rs”. 

Indignada, Celia Balarin disparou: “Em vez de mandar projeto para mudar o nome do paço deveria era mandar um projeto para melhorar a saúde, que está uma vergonha, para fazer exame você tem que esperar mais de um ano pelo menos o meu já vai fazer aniversário, remédio não se encontra no posto, o que eu preciso já faz três meses que não tem e não é qualquer remédio, é medicação que tem que ser tomada diariamente, que vergonha cidade considerada " RICA" CIDADE FELIZ e tanta gente precisando do básico, fora o NATAL DAS LUZES que coisa mais feia que ficou, melhor que não tivesse e coloca-se a casa em ordem, gastasse o dinheiro na saúde que o povo agradeceria, mas como levantar verba se não houvesse o NATAL DAS LUZES " o povo é ludibriado com as luzes da cidade feliz", fica aqui a minha indignação”.

Na opinião de César Henrique Martins a mudança é inconstitucional: "Cidade Feliz" foi uma expressão criada para/per (pelas) as gestões de Edson Moura. Isso fere os princípios-constitucionais administrativos da moralidade e da impessoalidade”. 

A vereador Angela Duarte (PRTB), que votou contra a mudança na Câmara, comentou o resultado da votação. “Infelizmente, um mero tema de campanha política venceu uma data histórica para o município”. Nossa reportagem tentou ouvir outros vereadores, mas não conseguimos contato por telefone.

Fotos: Cláudia Arantes/CMP

Comentar