SMS divulga 1º panorama detalhado de vacinados contra a Covid-19

Da Redação
11/07/2021 18:07:04
SMS divulga 1º panorama detalhado de vacinados contra a Covid-19

Imunização ocorre no subsolo do teatro municipal

Quase seis meses após começar a vacinação pela técnica de enfermagem Eliete Maria Greco, Paulínia registra cerca de 12% dos moradores totalmente imunizados

Neste domingo (11), a Secretaria de Saúde (SMS) de Paulínia divulgou balanço detalhado da Campanha Municipal de Imunização contra a Covid-19. É o primeiro panorama geral desde o início da campanha em 21 de janeiro passado, quando a técnica de enfermagem Eliete Maria Greco, de 72 anos, foi a primeira moradora da cidade a ser vacinada contra a doença (RELEMBRE).

O balanço da SMS mostra que Paulínia fechou a última sexta-feira (9) com 38,50% da população (112.003 habitantes no total, segundo estimativa do IBGE) imunizada com a 1ª dose, e quase 12% totalmente vacinada (1ª e 2ª doses, ou dose única) - veja quadro abaixo. O ritmo da imunização completa é sempre mais lento em razão dos intervalos de tempo, entre uma dose e outra, definidos pelos fabricantes das vacinas: CoronaVac 28 dias; AstraZeneca e Pfizer doze semanas (três meses). Além destes, Paulínia está aplicando também a dose única do imunizante da Janssen. 



O panorama vacinal por faixa etária aponta seis grupos com índice de cobertura acima de 100%, em relação à população estimada de cada um. Entre grávidas e mães recentes (puérperas), a SMS imunizou 536 mulheres com a 1ª dose. De acordo com a pasta, a vacinação de gestantes registrou baixo desempenho: de 1.145 mulheres apenas 407 (35,54%) tomaram a dose inicial contra a Covid-19 - veja quadros abaixo.





“É importante saber que toda vacina licenciada para uso passou antes por diversas fases de avaliação, desde os processos iniciais de desenvolvimento até a produção e a fase final que é a aplicação, garantindo assim sua segurança. As vacinas são avaliadas e aprovadas por institutos reguladores muito rígidos e independentes. No Brasil, essa função cabe à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão vinculado ao Ministério da Saúde. E não é só isso. O acompanhamento de eventos adversos continua acontecendo depois que a vacina é licenciada, o que permite a continuidade de monitoramento da segurança do produto”, explicou a SMS.

Fotos: Divulgação/Reprodução

Comentar