Consórcio se posiciona sobre compra de vacinas para municípios

Da Redação
24/05/2021 16:05:08
Consórcio se posiciona sobre compra de vacinas para municípios

Até agora, Paulínia vacinou quase 18,5 mil

Procurado pelo Correio, o Conectar, do qual Paulínia faz parte, disse estar avançando nas negociações com cinco governos: americano, chinês, russo, cubano e alemão

Lançado oficialmente em 22 de março passado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras, o Conectar, formado por mais de 2.600 Prefeituras, surgiu com a promessa de adquirir, inicialmente e ainda neste primeiro semestre, 20 milhões de imunizantes contra a Covid-19. Com isso, os municípios consorciados vacinariam a população com mais rapidez e independência do calendário fixado pelo Plano Nacional de Imunização (PNI). 

A adesão de Paulínia ao Conectar foi anunciada pelo prefeito Du Cazellato (PL) em 5 de março, e autorizada pela Câmara Municipal seis dias depois, em regime de urgência - Lei 3.844/2021. “Estamos fazendo tudo que está ao nosso alcance para que possamos imunizar o quanto antes toda população”, declarou Cazellato, na ocasião. No entanto, Paulínia segue imunizando a população com as doses enviadas pelo Governo Estadual. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), até a última sexta-feira (21) 18.437 moradores (pouco mais de 16% da população) foram imunizados contra o novo coronavírus, sendo 9.707 com as duas doses, totalizando 28.144 vacinas aplicadas, entre CoronaVac e Oxford/AstraZeneca. 

O Correio procurou o Conectar, e obteve retorno sobre o andamento da compra de vacinas. Leia nota abaixo.
 
“O Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras, o Conectar, avança na interlocução diplomática em cinco frentes prioritárias, com embaixadas e representantes dos governos americano, chinês, russo, cubano e alemão.

O Consórcio Conectar reúne mais de 2.600 Prefeituras com o propósito de unir esforços para agilizar o Plano Nacional de Imunização (PNI) e atuar de forma integrada para garantir a vacina para todos.

Mais do que o diálogo aberto com possíveis fornecedores de vacinas, a meta é viabilizar o direcionamento de doações privadas para a aquisição destes imunizantes (recebemos 4 milhões da Natura já!) e para a compra de insumos médico-hospitalares em escala e com economia de recursos, fortalecendo o sistema público de saúde.

Importante destacar que o Conectar congrega não apenas as 26 capitais mas um grupo enorme de cidades de pequeno e médio porte que enfrentam dificuldade de acesso a estes materiais (remédios, seringas e agulhas, máscara e EPIs, luvas descartáveis...), itens de extrema importância no processo de vacinação.

Maior consórcio público do país, o Conectar  inaugura um novo período de protagonismo das cidades brasileiras neste momento em que, mais do que nunca, precisamos de um esforço coordenado para salvar vidas e dar celeridade ao PNI.

Unificando interesses comuns para gerar soluções de interesse público, o Consórcio Conectar é um aliado estratégico no desafio de retomada das atividades econômicas, geração de emprego e renda que só será possível com a vacinação em massa da população”. 

Foto: Ilustração

Comentar