Pela primeira vez, em 20 anos, Paulínia não elege vereadoras

Da Redação
17/11/2020 18:11:28
Pela primeira vez, em 20 anos, Paulínia não elege vereadoras

Juntas, elas somaram 2.406 votos

92 mulheres concorreram à Câmara este ano e receberam quase 7 mil votos: Angela, Fábia, Simeia e Rosangela foram as mais votadas

Apesar de 92 mulheres terem disputado as eleições para a Câmara Municipal de Paulínia (CMP) este ano, e juntas conquistado quase 7 mil votos, a partir de janeiro de 2021 as quinze cadeiras legislativas da cidade serão ocupadas por homens. Atualmente, Paulínia tem apenas uma vereadora: Fábia Ramalho (Podemos). Ela foi a segunda mulher mais bem votada no domingo (15), com 653 votos, entretanto, não conseguiu se reeleger. 

Primeira colocada entre as mulheres com 852 votos, a ex-vereadora Angela Duarte (Podemos) perdeu a única cadeira conquistada pelo partido para Flávio Xavier, que obteve apenas dez votos a mais do que ela. A ex-vereadora Simeia Zanon também tentou voltar para o Legislativo, dessa vez filiada ao PTB, mas terminou a disputa feminina em terceiro lugar, com 464 votos. Entre as candidatas novatas, Rosangela Carnieli, do PL, foi a campeã de votos: 437. De todas as mulheres que disputaram, somente dezesseis receberam 100 votos ou mais, cada. 

Elas na Câmara
A representatividade feminina na Câmara Municipal de Paulínia (CMP) começou em 1988, quando a cidade elegeu a primeira vereadora de sua história: a dentista Sonia Prado de Oliveira, na época filiada ao PMDB, que depois passou a se chamar MDB.  Em 1992, além de reeleger-se, a Doutora Sonia, como ficou conhecida, ganhou a companhia de Maria Silvia de Arruda Ferro, na época filiada ao PDT, a segunda paulinense eleita para o Legislativo. 

Nas eleições de 1996, Doutora Sonia concorreu à vice-prefeita da cidade, na chapa encabeçada pelo ex-prefeito Dude Vedovello, e foi a primeira mulher eleita para o segundo cargo mais importante do Poder Executivo local. Já a então vereadora Maria Silvia disputou a reeleição, mas não conseguiu continuar na Câmara, que ficou sem representação feminina na legislatura seguinte.

Em 2000, com o término do mandato na prefeitura, e sem ainda existir reeleição para os cargos de prefeito e vice-prefeito, Doutora Sonia conseguiu voltar para a Câmara, sendo a única mulher eleita naquele ano. De lá para cá, o município elegeu mais quatro vereadoras: Simone Moura, em 2004; Simeia Zanon, em 2008 e 2012; Angela Duarte, em 2012; e Fábia Ramalho, em 2016. 

Fotos: Reprodução/Redes Sociais

Comentar