Em média, UBSs de Paulínia atendem quase 10 mil pacientes de fora por mês

Da Redação
08/05/2019 14:05:56
Em média, UBSs de Paulínia atendem quase 10 mil pacientes de fora por mês

Varredura nos prontuários da rede básica começou quinta (2) pela UBS Cooperlotes

Prefeito interino da cidade, Loira (DC) determina pente-fino nos prontuários das Unidades Básicas de Saúde e atendimento prioritário à população local

De acordo com a Secretaria de Saúde de Paulínia, a rede básica do município realiza, em média, 39.600 (trinta e nove mil e seiscentos) atendimentos todos os meses. No entanto, do total de pacientes atendidos nas Unidades Básicas de Saúde da cidade, cerca de 25% moram em outros municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC), segundo o secretário da pasta, Luis Carlos Casarin. Ou seja, aproximadamente 9.900 (nove mil e novecentos) não moradores de Paulínia passam por consultas, pegam remédios, fazem exames, curativos, inalação, tomam injeção e vacinação, ou recebem outros atendimentos básicos gratuitos oferecidos pela cidade. 

Para diminuir o número de pacientes de fora, priorizar e melhorar o atendimento à população local na rede básica, a Secretaria de Saúde, por determinação do prefeito interino Antonio Miguel Ferrari, o Loira (DC), criou a Central de Abertura de Prontuário (CAP), cuja implementação começou quinta-feira (2) pela UBS Cooperlotes. 

Segundo a Prefeitura, na prática, a Central “vai aumentar o controle de novos prontuários, impedir que pessoas de outras cidades façam o cadastro nas unidades e passar um pente-fino nas fichas dos usuários”.  Com pouco mais de 100 mil habitantes, Paulínia tem pelo menos o dobro disso em prontuários ativos nas unidades básicas de saúde. 

“Será avaliado, com mais rigor, a veracidade dos documentos apresentados e também haverá visitas nas residências, em alguns casos, para que ocorra a comprovação efetiva de que a pessoa realmente mora no endereço citado”, afirmou a secretaria de saúde. Para abrir uma pasta em qualquer UBS da cidade, além de RG, CPF e Cartão do SUS, a pessoa deve comprovar residência na cidade, por meio de conta de água ou luz, carnê de IPTU, ou contrato de aluguel registrado em cartório.

Foto: Divulgação/PMP


Comentar