Erros e acertos marcam os primeiros dias do mecânico Loira (DC) à frente da Prefeitura de Paulínia, até novas eleições ou eventual segunda...

Da Redação
16/02/2019 19:02:36
Erros e acertos marcam os primeiros dias do mecânico Loira (DC) à frente da Prefeitura de Paulínia, até novas eleições ou eventual segunda ordem da Justiça

A simplicidade do prefeito interino Loira (DC, também, reflete positivamente em seu governo

Boaaaaaaaaaaaaaaaaaaa nooooooooooooooooooite, meus amoooooooooooooooooores. Ninguém tinha dúvida que o início de 2019 seria agitadíssimo, politicamente falando, como está sendo. No quarto dia do ano, a Câmara empossou Loira (DC) no Lugar de Du Cazellato (PSDB), que não reconheceu o ato do Legislativo, e, grudou na cadeira. Aí, foi aquele furdunço todo, muito “leriado” e “fulerage”, como diz Mução, um dos maiores humoristas brasileiros.

Dezenove dias depois da posse na Câmara, Loira (DC) substituiu Cazellato (PSDB) no comando interino da city, por determinação do desembargador eleitoral Fábio Prieto (TRE-SP), até nova eleição para prefeito ou eventual nova decisão da justiça.  Enquanto isso, o mecânico de profissão administra o motor público municipal em meio a uma acirrada “pré-campanha” à sucessão de Dixon Carvalho (Progressistas), iniciada em novembro passado, quando o então prefeito teve o mandato cassado.

No dia 7 de novembro de 2018, quando tomou posse como prefeito interino, Cazellato (PSDB) declarou-se à imprensa pré-candidato ao cargo, até então, ocupado por Carvalho.  Com a possibilidade iminente de eleição municipal suplementar, outros nomes conhecidos, como os empresários Tuta Bosco (PPS) e Adilson Domingos Censi, o Palito (PROS), que já disputaram e perderam a corrida pela Prefeitura da City, ressurgiram na cena política local, além de outros pouco conhecidos, que surgiram escorados por velhas forças políticas, como Nani Camargo, atual esposa do ex-prefeito Edson Moura (MDB) e pré-candidata apontada.

Embora, em tese, pré-candidato natural ao possível mandato tampão, por estar à frente da administração municipal, oficialmente Loira (DC) ainda não se declarou como tal, até o presente momento. Interlocutores do prefeito interino afirmam que, na visão dele, uma possível candidatura ao Executivo da City deve acontecer naturalmente. “Por enquanto, ele está totalmente focado em trabalhar, de forma incansável, para resolver os problemas mais graves do município, especialmente na área de saúde”, disse um interlocutor.

Os primeiros 25 dias do governo interino de Loira (DC), completados hoje (16), foram marcados por episódios positivos e negativos, como acontece no início de qualquer administração pública, interina ou não. NEGATIVAMENTE, repercutiram as nomeações do advogado Fábio Martins, para a secretaria de Negócios Jurídicos, e de Thelma Teles, para a assessoria do gabinete do Vice-Prefeito, cargo esse que está vago desde que Sandro Caprino (PRB) foi cassado, junto com Carvalho.

Desde o dia 31 de outubro passado, por determinação do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a vaga titular da pasta jurídica municipal só pode ser ocupada por Procurador de carreira da Prefeitura, o que não era o caso de Martins, exonerado da função e nomeado para a assessoria especial do gabinete do prefeito. Já em relação à polêmica nomeação para o gabinete do vice, ouvida uma fonte do governo, ouvida pela coluna, disse que a Prefeitura já está prestando esclarecimentos ao Ministério Público (MP) e logo o caso estará resolvido. Incialmente, a Prefeitura informou, em nota à imprensa, que havia ocorrido um erro na portaria de nomeação e que o mesmo seria corrigido.  

POSITIVAMENTE, repercutiu as seguintes medidas tomadas em alguns setores públicos essenciais, como saúde, educação, segurança e gastos públicos: início do reabastecimento do estoque de remédios e insumos da rede pública municipal; mais uma UTI móvel para atender a rede; entrega de uniformes escolares no começo do ano letivo, coisa que não acontecia há um bom tempo; devolução de 12 carros alugados pelo município, dentre eles três de luxo, que representará uma economia anual de quase R$ 500 mil, segundo informação da própria prefeitura; determinação de auditoria nos contratos de locação de imóveis pelo município.

Além disso, para amenizar o caos no trânsito local em horários de pico, a administração interina anunciou que vai recorrer ao governo do estado para construir uma via de acesso à região do João Aranha, pela Rodovia Zeferino Vaz. Blitzes todos os dias, em pontos estratégicos, e a volta de viaturas da Guarda Civil Municipal nos portais da city, em operações especiais, têm movimentado a área de segurança e recebido o apoio da população.

Na Câmara, o governo interino de Loira (DC) conta com o apoio da maioria dos vereadores, bem como com a oposição declarada de Edilsinho Rodrigues (PSDB), Fábio Valadão (PRTB) e Danilo Barros (PR). Na primeira sessão legislativa do ano, dia 29 passado, os parlamentares justificaram que não caminhariam com Loira (DC) por conta da nomeação de algumas pessoas para o primeiro escalão da prefeitura. Eles não citaram nomeados. No entanto, o trio ressaltou que apoiará todos os projetos do prefeito interino em benefício da população.

Nas redes sociais, Loira (DC) enfrenta críticas, principalmente de grupos políticos, mas, também, tem recebido o apoio espontâneo de muitos paulinenses, frequentes e ativos no mundo virtual. O foco das discussões na internet tem sido mais em torno de quem comprou isso, licitou aquilo, determinou aquilo outro, do que o resultado gerado para a população por atos e medidas oficiais, independentemente da “paternidade” desse ou daquele ato, dessa ou daquela medida.

No meu entendimento, o que deve prevalecer são as melhorias para a população, independentemente de qual prefeito, interino ou não, na obrigação do cargo que exerce, as viabilizou. O uso político-eleitoral disso cabe a eles, no momento oficial da disputa. Então, discutir que fulano está se aproveitando disso ou daquilo, iniciado ou feito por cicrano, além de perda de tempo, só contribui para desviar o foco do que realmente interessa: a solução dos problemas da city.

Cazellato (PSDB), Loira (DC) e quem mais for disputar a prefeitura, agora ou em 2020, terão a oportunidade de mostrar o que fizeram ou pretendem fazer pela população. Enquanto isso, o que deve ser feito é exigir trabalho, soluções e melhorias efetivas para o povo, em todas as áreas, de quem está no comando da prefeitura.  

Interina ou não, qualquer administração tem obrigação de dar continuidade ao funcionamento da máquina pública, em todos os seus aspectos. Bom seria se, como acontece, por exemplo, em contratos/pregões de compra de remédios, todo prefeito fosse obrigado a terminar/manter obras iniciadas ou concluídas por seus antecessores. Já imaginaram, por exemplo, o sambódromo, a concha acústica, o pavilhão de eventos, os prédios abandonados dentro do complexo rodoviária shopping, os portais da city, que consumiram centenas de milhões públicos, funcionando plenamente para os fins que foram construídos ou até mesmo para outros, desde que em benefício da população?

Então, nesse momento, o mais sensato é cobrar de Loira que ele faça pela população, enquanto lá estiver, assim como foi cobrado do ex-interino Cazellato, bem como dos ex-titulares Dixon, Pavan, Moura Junior e Moura pai, que, diga-se de passagem,  o balanço final de seus mandatos vacilaram mais do que cumpriram com a população, deixando a city na situação em que se encontra. Portanto, em vez de perderem tempo discutindo, por exemplo, quem conseguiu o novo carro da APAE (Dixon, Cazellato ou Loira), deveriam contribuir com ideias que ajudem tirar a city do buraco.

Por hoje, é só amaaaaaaaaaados e amaaaaaaaaaaaaaaaadas. Um abençoado fim de semana para todos e que NOSSO PODEROSO DEUS NOS LIVRE DE TODO O MAL, AMÉM! Beeeeeeeeeeeeijos e abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços!!! Au revoir

Comentar