PSDB de Paulínia não ver motivos para STF julgar com urgência pedido de Dixon

Da Redação
20/01/2019 19:01:23
PSDB de Paulínia não ver motivos para STF julgar com urgência pedido de Dixon

Os tucanos paulinenses não querem saber de pressa na definição da instabilidade municipal

Presidido pelo prefeito interino Du Cazellato, partido pede para Lewandowski negar retorno do prefeito afastado, sem tratar de novas eleições na cidade

Em petição ao ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), o Diretório Municipal do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), cujo presidente é o prefeito interino de Paulínia, Du Cazellato, afirma que não houve “qualquer fato novo” na crise político-administrativa da cidade, que justifique urgência no julgamento, de mais um pedido de Dixon Carvalho (Progressistas) para retornar ao cargo, até decisão final do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). 

No documento, protocolado sexta-feira (18), o partido defende que “não há qualquer instabilidade na representação da Prefeitura de Paulínia”, e afirmou que, na verdade, Carvalho quer, “a qualquer custo”, conseguir efeito suspensivo à decisão do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) que o afastou do comando municipal.

O partido cita ainda a sessão solene da Câmara Municipal, dia 4 deste mês, que empossou o atual presidente da Casa,  Antonio Miguel Ferrari, o Loira (DC), no lugar de Cazellato (PSDB), mas teve seus efeitos suspensos pela justiça.

Ao final, o PSDB municipal, na condição de terceiro juridicamente interessado no caso, PEDE para Lewandowski negar o pedido de Dixon Carvalho (Progressistas), sem tratar de  novas eleições na cidade. 

Por decisão do próprio Lewandowski, Paulínia só voltará às urnas para escolher um novo prefeito caso a condenação de Dixon Carvalho (Progressistas) seja mantida pelo TSE, que ainda não definiu quando o caso será julgado. Lembrando que, o Poder Judiciário está em recesso

Foto: Reprodução/Internet

Comentar