Prefeitura de Paulínia correu risco iminente de ficar sem energia

Da Redação
03/12/2018 20:12:45
Prefeitura de Paulínia correu risco iminente de ficar sem energia

Quatro meses sem pagamento, durante a ex-gestão Dixon Carvalho (Progressistas)

Administração Cazellato (PSDB) pagou mais de R$ 2,4 milhões para fornecimento não ser interrompido e serviços à população prejudicados

Entre os dias 20 e 28 do mês passado, a Prefeitura de Paulínia pagou R$ 2.414.707,07 (dois milhões, quatrocentos e quatorze mil, setecentos e sete reais e sete centavos) em conta de luz. O município não pagava a tarifa de energia desde o mês de julho.

O pagamento foi priorizado pelo prefeito interino Du Cazellato (PSDB), diante do risco iminente do município ficar sem energia. “Se (o corte) ocorresse, os serviços públicos entraria em colapso, prejudicando milhares de pessoas”, disse uma fonte do atual governo.

O atraso no pagamento das contas de julho, agosto, setembro e outubro, na gestão do prefeito cassado Dixon Carvalho (Progressistas). custará aos cofres públicos R$ 618.159,49 (seiscentos e dezoito mil, cento e cinquenta e nove reais e quarenta e nove centavos) em multa e encargos.

O Correio não conseguiu contato com a assessoria do prefeito cassado. 

Foto: Ilustração/Internet

Comentar