Folha com cargos de comissão custava mais de R$ 23 milhões por ano

Da Redação
15/11/2018 17:11:13
Folha com cargos de comissão custava mais de R$ 23 milhões por ano

Cazellato (PSDB) exonerou 295 comissionados e 14 secretários, entre os dias 12 e 14 últimos

Apenas a assessoria especial do prefeito cassado Dixon Carvalho (Progressistas) consumia R$ 2, 89 milhões; Cazellato (PSDB) exonerou 309 nomeados pelo ex-prefeito

A Prefeitura de Paulínia publicou no Semanário Oficial desta quarta-feira (14) as exonerações assinadas pelo prefeito interino Du Cazellato (PSDB), empossado pela Justiça Eleitoral na última quarta-feira (7), até a realização de eleição suplementar na cidade. Além de 14 secretários, foram exonerados 295 ocupantes de cargos de provimento em comissão, os chamados “comissionados”. 

Com base na tabela oficial de salários da Prefeitura de Paulínia, o Correio fez as contas e constatou que, os cargos comissionados custavam aos cofres públicos municipais aproximadamente R$ 1.927.743,08 (um milhão, novecentos e vinte sete mil, setecentos e quarenta e três reais e oito centavos) por mês e R$ 23.132.916,96 (vinte e três milhões, cento e trinta e dois mil, novecentos e dezesseis reais e noventa e seis centavos) por ano, fora o abono, 13º e outras vantagens. 

Os cargos campeões de custo para o município eram: Chefe de Divisão, 91 ocupantes, R$ 572.208,00/mês; Diretor de Departamento, 45 ocupantes, R$ 459.668,70/mês; Assessor Especial (I e II), 19 ocupantes, R$ 174.114,70/mês; e, Chefe de Gabinete de Secretário, 12 ocupante, R$ 130.979,04/mês. Por ano, mais de R$ 16 milhões.

Além desses cargos, foram exonerados: 24 Técnicos de Gabinete, 20 Assistentes de Gabinete, 52 Chefes de Equipamento (I, II, III, IV e V), 14 Chefes de Núcleo, 4 Coordenadores do CRAS, 1 Coordenador do CREAS, 1 Ouvidor do SUS, 11 Assessores Técnicos de Gabinete, e 1 Chefe de Enfermagem, totalizando 309 exonerações, com os secretários.  

Exceto Chefe de Gabinete e Assessor Especial, todos os cargos, cujos ocupantes foram exonerados por Cazellato (PSDB), deverão ser extintos. No último dia 31, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJS), por unanimidade, decidiu (LEIA) pela ilegalidade da Lei Municipal 3.539 - Reforma Administrativa, que criou as vagas em março do ano passado.

Na sessão de terça-feira (13), o vereador Edilsinho Rodrigues (PSDB), nomeado por Cazellato (PSDB) como seu líder de governo na Câmara Municipal,  informou que o prefeito deve elaborar uma nova reforma administrativa para a Prefeitura e, o mais breve possível, encaminhar o projeto de lei ao Legislativo. O Correio apurou que, Cazellato (PSDB) estuda reduzir futuramente o número de secretarias municipais. Atualmente, são 21 pastas em funcionamento.

Pauliprev
No Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Paulínia, foram exonerados o Diretor Presidente, Sérgio Henrique Balbino, substituído por Nivia Carla Fonseca, e a diretora de Previdência e Atuária, Francinete de Sousa Oliveira, que migrou para a chefia de gabinete da Secretaria de Recursos Humanos, que deve ser ocupada por José de Freitas Guimarães, antecessor de Balbino, no Pauliprev. 

Secretariado
Uma fonte do governo Cazellato (PSDB) disse ao Correio que na próxima semana o prefeito interino deve anunciar os novos titulares das 14 pastas desocupadas: Chefia de Gabinete, Meio Ambiente, Planejamento, Administração, Cultura, Desenvolvimento Econômico, Educação, Esporte, Obras e Serviços Públicos, Defesa Civil, Segurança Pública, Governo, Recursos Humanos, e Negócios da Receita

Também na sessão de terça-feira (13), o líder de governo Edilsinho Rodrigues (PSDB) antecipou as nomeações de José de Freitas Guimarães e Jorge Israel para as secretarias de Recursos Humanos e Meio Ambiente, respectivamente, no entanto, ainda não foi publicado nenhum decreto de nomeação de secretário.  

Já os secretários Lúcia Helena Giunco (Finanças), Genézio Pires Luiz (Assistência Social), Leonardo Viu Torres (Habitação), Yanko Gonçalves Mello (Saúde), Laércio Giampaoli (Transportes), Carlos Alberto Coelho  (Turismo e Eventos),  e Ademar Silveira Palma Junior (Negócios Jurídicos), nomeados pelo prefeito cassado Dixon Carvalho (Progressistas), permanecem nas pastas. 

Comentar