Prefeito pretende gastar R$ 67 milhões com asfalto: R$ 16 milhões só no Cascata

Da Redação
08/10/2018 19:10:28
Prefeito pretende gastar R$ 67 milhões com asfalto: R$ 16 milhões só no Cascata

Em julho, a Prefeitura informou que tapou mais de 20 mil buracos no município

Outros R$ 4,3 milhões com Publicidade e Propaganda contra apenas R$ 2 milhões em casas populares;

Nesta terceira matéria da série sobre o Orçamento 2019 de Paulínia, destacamos as previsões de gastos do governo Dixon Carvalho (Progressistas) em obras e serviços públicos, publicidade/propaganda e habitação. Lembrando que, a administração municipal estima arrecadar R$ 1,7 bilhão no ano que vem – R$ 189 milhões a mais do previsto para este ano. 

Manutenção, pavimentação e recapeamento de vias públicas devem consumir R$ 67.445.000,00 (sessenta e sete milhões, quatrocentos e quarenta e cinco mil reais). Desse total, R$ 16.045.000,00 (dezesseis milhões e quarenta e cinco mil reais) serão investidos somente em asfalto e infraestrutura do bairro Cascata. Em junho deste ano, Dixon (Progressistas) contratou por R$ 320 mil a empresa Festi e Festi Consultoria e Planejamento, com sede no Itapuan em Paulínia, para fazer o projeto completo das melhorias que pretende realizar no bairro.

Entre julho do ano passado e este mês, o governo Dixon Carvalho (Progressistas) já gastou R$ 6.862.278,08 (seis milhões, oitocentos e sessenta e dois mil, duzentos e setenta e oito reais e oito centavos com operações "tapa buracos" na cidade. Em julho passado, a Prefeitura informa que 20 mil buracos foram fechados na cidade.
 
Imagem 
Já os gastos com publicidade e propaganda da administração estão estimados em R$ 4. 357.000,00 (quatro milhões, trezentos e cinquenta e sete mil reais). Além disso, outros R$ 418 mil públicos devem ser investidos em publicidade institucional (divulgação de atos, programas e serviços oficiais), totalizando quase R$ 4,8 milhões. Essa verba será administrada pelo novo secretário de Governo, Flávio Xavier.

Habitação
Com um déficit habitacional de 10 mil moradias, segundo o último censo do IBGE, Paulínia não investe em construção de casas populares há pelo menos duas décadas. Assim como neste ano, para 2019 estão previstos apenas R$ 2 milhões para o setor. No ano passado, a verba para expansão de unidades habitacionais e obras de infraestrutura era de R$ 17 milhões, mas o governo Dixon (Progressistas) remanejou 100% da dotação para outros fins e nenhuma casa foi levantada.

Comentar