Ex-secretário depõe à PGJ e aponta “mentor” do “emergencial” da RC Nutry

Da Redação
22/09/2018 14:09:41
Ex-secretário depõe à PGJ e aponta “mentor” do “emergencial” da RC Nutry

Andrade foi ouvido por um promotor da Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo

Silvio Andrade foi secretário municipal de Finanças entre fevereiro e outubro de 2017 e acompanhou de perto a contratação milionária da merenda

Na semana passada, o ex-secretário de Finanças de Paulínia, Silvio Cesar Vieira de Andrade, prestou depoimento no Setor de Crimes de Prefeitos da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ), em São Paulo, que investiga uma série de denúncias contra o prefeito Dixon Carvalho (Progressistas), a primeira-dama Tatiana Castro, secretários e assessores municipais. 

Intimado como testemunha de acusação, ele foi interrogado por um promotor da PGJ, entre outros temas, sobre o polêmico e milionário contrato emergencial da RC Nutry, que no ano passado forneceu merenda escolar para o município durante seis meses.

O Correio apurou que Andrade não descartou a responsabilidade do prefeito Dixon Carvalho (Progressistas) e do secretário de Educação Luciano Bento Ramalho, no entanto, apontou Reginaldo Vieira, Secretário Chefe de Gabinete, como mentor da contratação da merenda, por mais de R$ 13 milhões. Além do Chefe de Gabinete, Dixon e Ramalho, que assinaram o contrato da RC Nutry, também são investigados.  

Para o Ministério Público (MP) local, que também investiga o caso, prefeito e secretário criaram uma falsa situação de emergência para contratar a RC Nutry, sem licitação (leia). Dixon (Progressistas) e Ramalho têm negado, reiteradamente, qualquer ilegalidade na contratação emergencial da merenda. 

Andrade, que ficou à frente da pasta de Finanças de fevereiro a outubro de 2017, foi o oitavo dos 14 secretários municipais que já deixaram, a pedido ou exonerados, o governo Dixon (Progressistas), desde janeiro do ano passado. Ele substituiu Valmir Ferreira da Silva, que em abril de 2017 declarou à Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal que o contrato sem licitação da RC Nutry foi ilegal, por isso, não assinou e acabou exonerado por Dixon (Progressistas).

À época, a promotora de Paulínia Verônica Silva de Oliveira solicitou ao presidente da Comissão, vereador Kiko Meschiati (PRB), cópia do depoimento da ex-secretária de Negócios Jurídicos, Elisete Quadros, que prestou depoimento junto com Silva e também falou sobre o contrato da RC Nutry. O vereador, então, enviou ao MP cópias da gravação dos dois depoimentos. 
   
Nossa reportagem não conseguiu contato com o Chefe de Gabinete Reginaldo Vieira, mas o espaço está aberto para receber seu posicionamento. Silvio Cesar Vieira de Andrade atendeu a reportagem, mas disse que não falaria sobre o assunto porque a investigação da PGJ corre em segredo de justiça

Foto: Correio Imagem/Arquivo

Comentar