Saúde não tem pressa: sem UTI Neonatal, mas com a melhor e mais eficiente sinalização de trânsito do país

Da Redação
10/06/2018 20:06:02
Saúde não tem pressa: sem UTI Neonatal, mas com a melhor e mais eficiente sinalização de trânsito do país

A contratação milionária da empresa que vai dá uma “geral” na sinalização do trânsito da cidade me fez, outra vez, tentar entender o que é e o que significa a palavra PRIORIDADE para o prefeito Dixon Carvalho (Progressistas). Nem pensar que o trânsito local não mereça atenção e investimento do poder público, muito pelo contrário. Temos acidentes com e sem vítimas fatais, a imprudência de motoristas também é a causa mais frequente das ocorrências, mas, estatisticamente, os índices paulinenses estão longe de serem alarmantes, a ponto de se gastar, NESTE MOMENTO, quase R$ 10 milhões para renovar a sinalização horizontal, vertical e semafórica da cidade.

Aposto com quem quiser que, no lugar de Dixon, qualquer outro prefeito utilizaria esse dinheiro, por exemplo, para equipar e entregar o Hospital Municipal, que já virou mais um “elefante branco” com dinheiro público e “símbolo da incompetência, falta de vontade política ou de interesses inconfessáveis” de todos os prefeitos, desde que as obras começaram. Segundo uma fonte, a Secretaria de Saúde levantou que os equipamentos necessários para funcionar o novo HMP custam cerca de R$ 20 milhões.  A licitação do trânsito vai consumir METADE desse valor. 

Além disso, R$ 5 milhões estão reservados no Orçamento deste ano para o novo HMP. Segundo uma das últimas versões do governo Dixon (Progressistas), as obras mesmo já terminaram, faltando apenas alguns retoques e acabamentos.  Pois é, somando com os dez milhões do trânsito já seriam quinze milhões em equipamentos. O restante poderia ser perfeitamente remanejado de outra dotação, pois, o que mais esse governo sabe é remanejar verbas, inclusive, até acima dos limites permitidos por lei, tanto que está enfrentando uma Comissão Processante na Câmara, por suposta prática de “pedalada fiscal”, no ano passado.

O modelo de gestão pública aplicado e praticado por por Dixon (Progressistas) não passa nem perto das prioridades e necessidades dos milhares de paulinenses que dependem da saúde pública. A cidade que continue sem UTI Neonatal, com pacientes jogados em macas nos corredores por falta de leitos, com as máquinas de exames quebradas, entre tantos outros problemas gravíssimos, os quais só tiveram total atenção do prefeito em uma única ocasião: quando ele bateu na porta do povo, pedindo um voto de confiança para administrar a cidade. Conseguiu. Agora, os pacientes que se lasquem.

Pela fortuna que será gasta, logo a sinalização do trânsito paulinense estará entre as mais modernas e eficientes do país. Enquanto isso, o novo HMP pode esperar mais alguns anos para ser entregue, afinal, saúde não tem pressa, né meeeeeeeeeeesmo

Mizael Marcelly
Jornalista

Foto: Ilustração

Comentar