Indiferente às denúncias de propinas e ao caos municipal, Dixon (PP) grava “mais uma BOA NOTÍCIA” para os paulinenses

Da Redação
13/05/2018 18:05:26
Indiferente às denúncias de propinas e ao caos municipal, Dixon (PP) grava “mais uma BOA NOTÍCIA” para os paulinenses

Munícipe "dá lição" das necessidades urgentes de Paulínia

Em “48 segundos” o prefeito de Paulínia fala da revitalização da Feira do São José: “mais um compromisso de campanha que estamos cumprindo” - Oiii?

A introdução “Meus amigos e Amigas de Paulínia, mais uma boa notícia pra vocês”, do último vídeo que o prefeito Dixon Carvalho (PP) postou no Facebook, dia 3, prova cabalmente que a Paulínia do “pronunciamento” só existe no imaginário dele e de sua inepta equipe de governo. A “boa notícia” é a “revitalização da Feira do São José”, cujo edital para contratação da empresa que realizará os serviços sequer ainda foi lançado. O prefeito finalizou o vídeo de “48 segundos” dizendo: “Esse era um compromisso de campanha que eu tinha feito com vocês e estamos cumprindo”. É de lascar, pra rir ou chorar?!!! Primeiro, a nova feira ainda não foi cumprida. Segundo, que outro compromisso de campanha ele cumpriu?

Até às 18h26min deste Domingo das Mães (aproveitando, meu amor, respeito e admiração a todas as mamães) havia sido visualizado 2,2 mil vezes e comentado por 29 paulinenses, dentre os quais, apenas um “parabenizou” o prefeito pela “boa notícia”.  Peço licença ao motorista Armando Salles para reproduzir, aqui, o comentário dele sobre o assunto na página política de Dixon (PP). “Se a cidade estivesse toda arrumada, aí sim, seria bom. Mas, tem tanta coisa pra fazer e o senhor pensando em feira, brincadeira em prefeito? VAMOS COLOCAR REMÉDIO NO HOSPITAL, MÉDICOS PRA TRABALHAR, DEPOIS O SENHOR PENSA EM FEIRA, QUE É UMA VEZ POR SEMANA, AGORA, A SAÚDE É TODO DIA”. Precisar acrescentar  alguma coisa?

Muito bem. O prefeito tem utilizado as redes sociais apenas para PROMETER, PROMETER e PROMETER, nunca para EXPLICAR nada.  Por que ele não EXPLICA à população o estado deplorável das escolas (merenda com bigatos, falta de professores, falta de segurança, infestação de ratos e pombos, suspensão de aulas por falta de manutenção, prédios quase caindo, pisos arrancados, entre outros problemas), a falta de remédios e insumos básicos na rede municipal, o não cumprimento do PCCV (Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos) dos servidores públicos, o novo hospital municipal prometido para dezembro, depois para fevereiro e, até agora, nada, o Bosquinho, o Peer do Parque da Represa e o Parque das Flores que continuam nas mesmas condições de antes, as compras de um software (programa de computador) por quase R$ 2 milhões e de livros “paradidáticos” por preços altíssimos, uma feira de ciência por quase R$ 700 mil e que, na prática, não serviu para nada, o aumento dos índices de criminalidade, a farra de locações de imóveis particulares, e tantos outros absurdos? 

Mas o “silêncio”, a indiferença, ou o "tanto faz" do governo Dixon (PP) não se restringem apenas ao caos em que se encontram os setores públicos essenciais da cidade, os quais, segundo até os vereadores aliados, ele conseguiu piorar. Alvos de operações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado) e da Polícia Federal (PF), Prefeito e governo fazem de conta que não é com eles, que nada está acontecendo. 

Segundo o Gaeco, o governo pepista estaria envolvido no esquema de fraudes em contratos de lixo – Operação “Purgamentum”, que parou Paulínia em novembro passado.  Já nos dias 12 de abril e 9 deste mês, a Polícia Federal (PF) realizou duas operações na cidade:  a “Encilhamento”, que apura desvio de milhões no Pauliprev, e a “Prato Feito”,  que investiga irregularidades na merenda escolar. Segundo a PF, Dixon (PP) pode ter recebido R$ 250 mil em propina, no caso da merenda, e um tal de “Omar” teria pedido R$ 1,5 milhão para um suposto funde de campanha do pepista, no caso do Pauliprev. Até agora, NENHUMA VÍRGULA EXPLICANDO OU DESMENTINDO ESSAS GRAVES DENÚNCIAS. Diz o dito popular que “QUEM CALA, CONSENTE”. 

Aí, em meio a tudo isso, o prefeito se coloca no centro da mesa de reuniões de seu gabinete e manda ligar a câmera, para anunciar mais uma coisa que ainda nem saiu do papel e sabe-se lá quando e se, de fato, sairá.  COMO SE EXPLICA ISSO? 

Mizael Marcelly

Foto: Reprodução (Vídeo Dixon)

Comentar