Moção de repúdio à “fakes” e crise política marcam sessão de retorno dos vereadores

Da Redação
08/03/2018 23:03:39
Moção de repúdio à “fakes” e crise política marcam sessão de retorno dos vereadores

Reunidos extraordinariamente, vereadores discutiram e votaram pauta da sessão ordinária anulada

Não houve “Palavra Livre”, mas, “quebrando o protocolo”, Valadão (PRTB) destacou: “estamos aqui, hoje, baseado em decisões judiciais”

Com a anulação judicial do afastamento dos vereadores e dos atos da 3ª Sessão Ordinária, realizada terça-feira (27), a Câmara Municipal realizou, na noite desta quinta-feira (8), a 2ª Sessão Extraordinária do ano, com os vereadores titulares, exceto, Kiko Meschiati (PRB), Zé Coco (PV) e Tiguila Paes (PPS). 

“Por ser sessão extraordinária, não teremos a Palavra Livre”, lembrou o presidente da Mesa, Du Cazellato (PSDB), e, em seguida, colocou em discussão e votação, novamente, os três projetos de lei do Executivo, cuja aprovação foi anulada pela Justiça, bem como os Requerimentos e Moções retirados da pauta da 3ª Ordinária do ano. 

Ao comentar dois requerimentos de sua autoria, o vereador Fábio Valadão (PRTB), após pedir  licença ao presidente Cazellato (PSDB) para “quebrar o protocolo”, falou sobre a crise política instalada no Legislativo.

Para o vereador, a cidade enfrenta um “problema razoável político” e, segundo ele, “isso gera muitas dúvidas na cabeça de muitas pessoas”. “Inclusive, podem falar assim: ah, mas os vereadores voltaram fizeram uma sessão breve, ninguém falou, ninguém  pediu a palavra, é porque tá todo mundo receoso. Não. Não há nada. Existem decisões judiciais, nós estamos aqui, hoje, baseado em decisões judiciais, que confrontaram as orientações e atos da então mesa diretora que aqui estava na sessão extraordinária que foi montada. Mas, porém, todavia, hoje é uma sessão extraordinária, não tem palavra livre, e a gente tem que ficar focado no objeto da convocação”, disse Valadão (PRB) e concluiu, avisando: “Mas, terça que vem nós temos sessão ordinária, aí, nós vamos ter tempo para falar o que aconteceu de verdade  nos bastidores”.

Perfis falsos
Os chamados “fakes” da internet voltaram a ser objeto de Moção de Repúdio no Legislativo Paulinense, dessa vez, de autoria de Flávio Xavier (PSDC). Para o vereador, além de propagar notícias falsas, os perfis criminosos em atividade no Facebook causam danos e prejuízo ao erário público, discórdia, bem como dificultam o trabalho da gestão pública no atendimento à população como o todo.

Confira o texto da Moção, aprovada pelo Plenário. 


MOÇÃO Nº 11/2018

“DE REPÚDIO AOS PERFIS FALSOS DO FACEBOOK, OS FAKES, PELA PROPAGAÇÃO DE NOTÍCIAS FALSAS E INTRIGAS, COM INTERESSES ESCUSOS E MERAMENTE PESSOAIS, QUE TEM CAUSADO DANOS E PREJUÍZOS AO ERÁRIO PÚBLICO, TRAZENDO DISCÓRDIA E DIFICULTANDO O TRABALHO DA GESTÃO PÚBLICA NO ATENDIMENTO À POPULAÇÃO COMO UM TODO.”
 
Exmo. Sr. Presidente:
Tenho a honra de apresentar em Plenário a seguinte Moção:

Triste e lamentável como pessoas sem respeito e moral se escondem através de perfis falsos nas redes sociais, os “fakes”, apenas para causarem caos e desordem em todo o país e danos a pessoas públicas, denegrindo sua imagem perante a sociedade, e aqui em nossa cidade não vem sendo diferente. 

Estes “fakes” não merecem credibilidade ou respeito, pois não tem coragem de se expor pessoalmente, por quê se escondem? Provavelmente não querem se expor porque tem seus interesses obscuros por trás do caos que causam, e provavelmente são pessoas ligadas a grupos políticos derrotados nas urnas em eleições, ou pura e simplesmente por interesses pessoais ou destes grupos, para obter algum cargo ou benefício próprio, que propagam a política do “quanto pior melhor”, mas em nenhum momento estão preocupados com o bem estar da população e da cidade em que vivem, apenas querem estar no poder ou em algum cargo público, custe o que custar, não se importando em denegrir a imagem de quem quer que seja,  e muito menos preocupado com o povo, até mesmo com afrontamentos e ameaças à pessoas e seus familiares ou o que eles querem atingir.

Assim, não aceitam perder e não entendem que em uma disputa, sempre haverá aquele que vence e aquele que não vence naquela oportunidade, além daqueles que não sabem esperar pela próxima ou não tem a capacidade de vencer de forma honesta e justa, e aqui não estou falando dos suplentes, e sim daqueles que se sentem frustrados e agem de maneira inconsequente e desonesta, utilizando de subterfúgios, mentiras, armações e artimanhas de toda espécie, sem qualquer escrúpulo, passando por cima de qualquer coisa, repito, DE QUALQUER COISA, para chegar ao seu objetivo, que é a obtenção do poder, custe o que custar, doa em quem doer.

Sempre terão o meu respeito aqueles que apresentam sua opinião contrária de forma construtiva, justa e honesta, preocupados com o bem comum, e repudio todas as ações “fakes” e anti-democráticas, propagadas pela grande maioria destes que vem criticando ou pregando uma suposta mudança, e que não estão agindo com respeito à maioria que nos elegeu, juntamente com os nossos partidos e apoiadores.

Pessoas e grupos políticos que na campanha pregavam que queriam ser eleitos para trabalhar para o povo com o princípio do bem comum, esqueceram-se deste princípio e hoje agem de maneira a prejudicar a administração pública, visando desestabilizar o executivo e o legislativo, pensando somente em seus interesses particulares. 

Ocorre que, com estas ações, os maiores prejudicados não são o prefeito e os vereadores, mas sim toda a população, que fica desassistida em todos os setores, porque estas pessoas pregam a política do “quanto pior melhor”, dificultando e criando barreiras administrativas, e às vezes jurídicas, para que a continuidade da gestão não aconteça, para que se beneficiem com a situação, acusando os políticos de não atuarem, mas isso tudo não passa de artimanha para obter o poder a qualquer custo, é assim que agem. Será que é isto mesmo que a população, que há anos vem sofrendo com este tipo de atitude quer para nossa cidade? Fica a pergunta.

Tenho certeza de que com a união de esforços e idéias, propondo projetos ou coisas boas para a cidade visando a solução dos problemas, teríamos a melhor cidade do mundo, onde maioria de nós teria orgulho e prazer em viver. Apresentar o que está ruim é fácil, ajudar a resolver os problemas é difícil, e é para isso que fomos eleitos. Trabalhar pelo bem comum, ajudar de forma positiva e efetiva nas soluções dos problemas enfrentados pela população e avançar, é mais que preciso, com trabalho sério, respeito e de forma harmônica entre os poderes Executivo e Legislativo, pois só assim desenvolveremos e construiremos a tão sonhada cidade que queremos. 

Portanto, esta é a forma como trabalho, com respeito, de modo limpo e honesto,  e tendo como objetivo sempre o bem comum. Em minhas ações, proponho projetos que visam sempre o bem estar da população, e com visão de futuro promissor e duradouro para o município e as pessoas que aqui vivem.

Face ao exposto, a Mesa da Câmara submete à apreciação dos nobres pares a presente M O Ç Ã O de repúdio aos perfis falsos do facebook, os “fakes”, pela propagação de notícias falsas e intrigas, com interesses escusos e meramente pessoais, que tem causado danos e prejuízos ao erário público, trazendo discórdia e dificultando o trabalho da gestão pública no atendimento à população como um todo.

Paulínia, 23 de fevereiro de 2018

VEREADOR FLÁVIO XAVIER

Foto: Reprodução

Comentar