Transporte universitário: decreto continua vigente, mas secretário garante mudanças

Da Redação
31/01/2018 22:01:58
Transporte universitário: decreto continua vigente, mas secretário garante mudanças

Novas regras dificultam o acesso de estudantes ao benefício do transporte gratuito

Movimento Estudantil que esteve ontem na Câmara estará nesta sexta-feira (2) na Prefeitura: “não vamos desistir de lutar por nossos direitos”, diz líder

Por enquanto, o prefeito Dixon Carvalho (PP) não fez nenhuma alteração no Decreto 7236/2017, que mudou as regras do transporte universitário oferecido pela Prefeitura de Paulínia. No entanto, na tarde desta terça-feira (30), durante reunião com vereadores da base governista, pais e alunos, o secretário municipal de Transportes, Laércio Giampaoli, garantiu que os pontos mais polêmicos da resolução serão modificados.

De acordo Giampaoli, o prefeito deve voltar atrás em duas questões, alvos de protestos dos universitários que utilizam o transporte da Prefeitura: a que limita em 50 quilômetros a distância entre Paulínia e a faculdade escolhida pelo aluno, e, o fim da circulação dos ônibus pelos bairros, pegando e deixando os universitários. 

O secretário informou que 22 ônibus, sendo 5 no período da manhã e 17 à noite, serão disponibilizados para pegar os estudantes em seus bairros e levá-los até o Rodoshopping, onde embarcarão no transporte universitário. Na volta da faculdade, os mesmos veículos levarão os alunos do Rodoshopping para os bairros. Giampaoli explicou ainda que, somente o retorno dos alunos da noite para as suas casas será feito pelo próprio transporte universitário (Viação Novo Horizonte), ou seja, sem necessidade de baldeação.

Já em relação ao itinerário dos ônibus universitários até um raio de 50 quilômetros ao redor de Paulínia, estabelecido pelo polêmico Decreto, Giampaoli informou que o limite será aumentado para 150 quilômetros. Ontem (30), a Prefeitura errou ao informar que o limite aumentaria de 100 (e não de 50) para 150 quilômetros.

“Nos próximos dias as mudanças devem ser oficializadas pela Prefeitura de Paulínia”, afirmou o secretário de Transportes, segundo a assessoria de imprensa da Câmara Municipal. Participaram da reunião os vereadores Loira (PSDC), Marcelo D2 (PROS), Fábio Valadão (PRTB), Flávio Xavier (PSDC), Danilo Barros (PR), Fábia Ramalho (PMN), Edilsinho (PSDB) e Xandynho Ferrari (PSD).

Para oficializar as mudanças anunciadas por Giampaoli, o prefeito Dixon (PP) deve alterar o Decreto vigente ou, até mesmo, revogá-lo e emitir um novo.
 
Movimento Estudantil
Mais de 200 estudantes lotaram a Câmara Municipal de Paulínia, na noite desta terça-feira (30), quando ocorreu a primeira sessão legislativa de 2018. Eles protestaram contra as mudanças nos programas do transporte universitário e bolsas de estudo da Prefeitura Municipal.

O Projeto de Lei 97/2017, que alterava as regras do “Bolsa Educação”, a partir deste ano, foi retirado do Legislativo pelo próprio autor, o prefeito Dixon Carvalho (PP). O governo municipal decidiu recuar das mudanças tão logo o movimento “ATO CONTRA A REFORMA DA BOLSA EDUCAÇÃO E TRANSPORTE UNIVERSITÁRIO” ganhou corpo e repercutiu nas redes sociais e na imprensa local (LEIA) Na tarde de segunda-feira (29), a organização do movimento esteve com os vereadores Tiguila Paes (PPS) e Kiko Meschiati (PRB), discutindo sobre a bolsa e o transporte (LEIA).

Hoje, Katlen Pires, uma das líderes do movimento, informou ao Correio que outra manifestação, dessa vez específica contra as alterações no transporte universitário (VEJA), acontecerá na próxima sexta-feira (2), às 15hs, em frente à Prefeitura Municipal. “Não vamos desistir de lutar pelos nossos direitos”, disse ela. 

Comentar