Vereadores não serão afastados, mas rito de votação ainda é um mistério

Da Redação
29/08/2017 15:08:29
Vereadores não serão afastados, mas rito de votação ainda é um mistério

A 14ª Sessão Ordinária, logo mais, às 18h30, promete temperatura política elevada

Segundo informações, o parecer da Procuradoria Jurídica da Câmara, contra o afastamento, foi entregue na tarde de hoje (29)

O Correio apurou, há pouco, que o Parecer da Procuradoria Jurídica da Câmara Municipal de Paulínia não recomenda o afastamento dos 13 vereadores citados, juntamente com o prefeito Dixon Carvalho (PP), na denúncia do 3º Sargento Aposentado da Polícia Militar de São Paulo, Luiz Roberto de Lima.

Na denúncia, pautada para ser lida e votada na sessão desta terça-feira (29), a partir das 18h30, o PM acusa o prefeito Dixon (PP) de crime de responsabilidade, por ter, segundo ele, oferecido vantagem indevida aos vereadores, para eles rejeitarem as Comissões Processantes que deveriam apurar supostas irregularidades nos contratos emergenciais da RC Nutry (merenda) e Corpus Saneamento (limpeza e coleta de lixo), no valor total de quase R$ 27 milhões.

Segundo informações, o parecer da Procuradoria contém 22 páginas e teria sido entregue à Diretoria Legislativa da Casa por volta das 14hs de hoje (29). No entanto, como o Parecer da Procuradoria Jurídica, até o presente momento, ainda não foi publicado no site da Câmara Municipal o rito de votação da denúncia continua sendo um mistério.

Foto: CMP

Comentar