Cazellato anuncia e não concretiza doação de carros da Câmara para a Prefeitura

Da Redação
09/03/2017 22:03:05
Cazellato anuncia e não concretiza doação de carros da Câmara para a Prefeitura

O Correio não conseguiu ouvir o presidente Du (PSDB), sobre a polêmica dos carros

Seis vereadores colocaram os veículos à disposição do presidente da Casa, que abraçou a ideia e disse que doaria os 15

No dia 19 de janeiro passado, por meio da assessoria de imprensa, o presidente da Câmara Municipal de Paulínia Du Cazellato (PSDB) informou a doação de todos os veículos do Legislativo para a Prefeitura do município. “A Câmara está atenta à situação econômica da cidade. Estes veículos podem atender a serviços essenciais do município”, disse ele, na ocasião. 

A doação de carros do Legislativo à Prefeitura, mais especificamente para a Secretaria Municipal de Segurança Pública, foi uma iniciativa conjunta dos vereadores Zé Coco (PV), Tiguila Paes (PPS), Kiko Meschiati (PRB), Xandynho Ferrari (PSD), Manoel Filhos da Fruta (PCdoB) e Marcelo D2 (PROS). Eles chegaram a gravar e publicar um vídeo nas redes sociais, informando a doação dos veículos. “Protocolamos um ofício ao nosso presidente (Dú Cazellato), informando a doação dos veículos (que eles usavam para trabalhos legislativos), e ele achou muito bacana e disse que ia fazer parte, doando os 15 carros (da Câmara)”, disse o vereador Kiko (PRB), no vídeo.

Na nota enviada à imprensa, em janeiro, o presidente Dú (PSDB) disse que aguardava o parecer jurídico da Procuradoria da Casa “para efetivar a doação dos 15 veículos”. O Correio apurou, informalmente, junto à um dos membros da Mesa Diretora, que o parecer havia sido favorável à doação. No entanto, segundo os vereadores, depois o presidente, a quem caberia legalizar a doação dos carros para a Prefeitura, acabou desistindo.

Na sessão de quinta-feira (2), o vereador Tiguila Paes (PPS), ressaltou a decisão do presidente do Legislativo. “O presidente falou que os carros conquistados por esta Casa foram de outras gestões [sic] e para não prejudicar as próximas legislaturas os carros não foram doados ao Executivo”, disse o vereador. Du Cazellato (PSDB) não contestou as declarações de Tiguila (PPS).

Nesta quarta-feira (09), o Correio falou com os seis vereadores que sugeriam a doação dos veículos, sobre a polêmica. Vejam o que disse, cada um:

Zé Coco (PV)
“Conforme documento protocolado na Câmara, eu abri mão do veículo oficial, conforme divulgado em redes sociais, para que o mesmo fosse devidamente cedido à Prefeitura Municipal. Hoje, o carro se encontra sob a responsabilidade da Presidência da Câmara, para a devida finalidade”.

Kiko Meschiatti (PRB)
“O presidente da Câmara disse que não ia mais doar os carros, porque foi uma conquista da Câmara. Mas, nós fizemos um ofício da doação dos veículos, o qual ele disse que queria fazer em conjunto, mas depois ele quis liberar, de volta, os carros para cada vereador.  Eu protocolei uma carta na Câmara abrindo mão do veículo e deixei à disposição da Presidência para ele doar, fazer o que quiser do carro, pois eu não quero utilizar o mesmo”.

Xandynho Ferrari (PSD)
“Eu, não entendi muito bem o que aconteceu, pois, primeiro a Presidência, além de concordar com nossa iniciativa, disse que iria doar todos os carros. Depois, não fizeram a doação, devolveram os carros aos gabinetes. Por mim, esses carros já estariam servindo à população”.

Marcelo D2
"A conduta do Presidente neste caso foi, no mínimo, estranha. Ele mesmo disse à imprensa que todos os veículos, e não apenas os nossos (dele e dos outros cinco vereadores), seriam doados a Prefeitura, depois desistiu. E somente ele, como presidente, poderia assinar o ato de doação. Eu, também, não estou usando o veículo, que encontra-se à disposição da Presidência”.

Tiguila Paes (PPS)
“Nós, fizemos a nossa parte. Quando divulgamos nas redes sociais a iniciativa de doar os carros nos disponibilizados pela Câmara já havíamos falado com o Presidente da Casa, que se manifestou completamente favorável à doação, principalmente, para ajudar  a Guarda Municipal, que ainda opera com número bem insuficiente de viaturas. Infelizmente, acabou não acontecendo, como todos nós queríamos”. 

Manoel Filhos da Fruta (PC do B)
"Lamentável. Nós entregamos os carros, o presidente elogiou nossa postura, abraçou a ideia, colocou a frota inteira para doação, e depois recuou. Então, ficamos de mãos atadas, pois apenas a Presidência poderia concretizar, legalmente, o nosso desejo de contribuir com a Segurança da nossa cidade”.

Nossa reportagem não conseguiu falar com o presidente Du Cazellato (PSDB), para comentar as declarações dos vereadores, no entanto, o Correio continua à disposição para ouvir o Presidente da Câmara, sobre essa questão.

Foto: Câmara Municipal de Paulínia 
Frase: Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Paulínia

Comentar