Reforma administrativa, e planos de cargos, carreiras e salários podem ficar para 2017

Da Redação
04/11/2016 16:11:28
Reforma administrativa, e planos de cargos, carreiras e salários podem ficar para 2017

O Sindicatos dos Servidores de Paulínia não concorda com a urgência nos projetos que envolvem a categoria pública...

Regimes de Urgência serão votados na sessão da Câmara de terça (8), mas devem ser derrubados pela maioria

O Correio Paulinense apurou que os três projetos envolvendo o funcionalismo público de Paulínia – Planos de Cargos, Carreiras e Salários (PLC 3/2016 e 04/2016) e Reforma Administrativa da Prefeitura (PL 42/16) -  só devem ser votados pela Câmara de Vereadores no ano que vem. De autoria do prefeito José Pavan Junior (PSDB), as propostas chegaram no Legislativo dia 20 passado, todas com pedido de urgência nas votações.

Na última sessão da Câmara, dia 25, pelos menos três vereadores – Gustavo Yatecola (PTdoB), Marquinho Fiorella (PSB) e Tiguila Paes (PPS) – anteciparam que votarão contrário à urgência solicitada pelo Executivo, pois, segundo eles, os projetos que envolvem mais de 5 mil servidores precisam ser amplamente debatidos com todas as categorias do serviço público municipal.

Na ocasião, a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Cláudia Pompeu, pediu que os vereadores votassem contra a urgência dos projetos. Um dia antes, o presidente da Casa, Sandro Caprino (PRB), fez a seguinte declaração ao Correio, sobre as propostas: “não vou pautar, fazer nada a toque de caixa”.

Na noite de ontem (3), vereadores e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais voltaram a discutir os pedidos de urgência nas votações dos projetos e, segundo apurou o Correio, houve um consenso para derrubá-los na sessão legislativa da próxima terça-feira (8). Para a presidente do sindicato, os planos apresentados pela administração não contemplam “anseios históricos” dos servidores municipais, por isso, precisam ser reformulados, o que impossibilita que os mesmos sejam apreciados e votados devidamente ainda este ano.

Foto: Arquivo/CP Imagem 

Comentar