“Não fui eleito para descontar o que fizeram comigo no passado, mas para mudar a história de Paulínia”, afirmou Dixon (PP)

Da Redação
06/10/2016 13:10:03
“Não fui eleito para descontar o que fizeram comigo no passado, mas para mudar a história de Paulínia”, afirmou Dixon (PP)

Prefeito e Vice-Prefeito eleitos de Paulínia, na primeira coletiva com a imprensa local

O prefeito e vice-prefeito eleitos de Paulínia falaram à imprensa, na manhã desta quinta-feira (6)

O prefeito e vice-prefeito eleitos de Paulínia, Dixon Carvalho (PP) e Sandro Caprino (PRB), tiveram o primeiro encontro com a imprensa local, após vencerem as eleições do último domingo (2). Na pauta, transição, perseguições, expectativas, transparência, funcionalismo, plano de governo, saúde, obras, entre outras questões abordadas pelos entrevistados e levantadas pelos jornalistas presentes.

O vice-prefeito eleito abriu a coletiva agradecendo a Justiça Eleitoral, Polícia Civil e Polícia Militar de Paulínia por conduzirem com ordem e segurança o processo eleitoral na cidade. Caprino (PRB) também destacou que para Paulínia avançar, a partir de janeiro de 2017, a futura administração precisará de todos. “Sozinhos, não somos nada”, disse ele.

Já o prefeito eleito, inicialmente, ressaltou o que, segundo ele, foi determinante para sua vitória nas urnas. “A expectativa de mudança era muito grande. O povo de Paulínia queria uma administração nova e o resultado provou isso”, afirmou Dixon (PP), eleito com 17.798 votos, 559 a mais da votação de 17.239 obtida pelo segundo colocado, o atual prefeito José Pavan Junior (PSDB).

O futuro chefe do Poder Executivo Municipal disse aos jornalistas que já está trabalhando para assumir o governo com tranquilidade e que, para isso, já teria informado ao atual prefeito da cidade seu desejo de uma transição harmoniosa.  “Queremos fazer uma transição amigável, para favorecer o povo de Paulínia. Agora, só não existirá a transição se ele (Pavan) não quiser”, ressaltou.

Passado
Segundo Dixon, as perseguições contra ele ficarão no passado. “Não fui eleito para descontar o que fizeram comigo no passado, mas sim para mudar a história de Paulínia, trabalhando com afinco e transparência. É preciso olhar para frente, pois quem olha no retrovisor é porque tem mágoas, e esse não é o meu caso”.

Administração
O prefeito eleito prometeu um governo transparente, diferente e com uma equipe técnica atuando no primeiro escalão municipal. “O viés de nomeações pode ser político e técnico, ao mesmo tempo”, comentou ele.  Sobre o quadro de cargos de confiança, nomeados livremente pelo Prefeito, Dixon afirmou que o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado pela Prefeitura com o Ministério Público (MP) será respeitado e que sua equipe será montada dentro da lei. 

“As administrações passadas tinham um comprometimento político muito grande, para atender um monte de gente. Eu não tenho, bastam ver a quantidade de partidos da minha coligação. Os partidos (aliados) que me apresentarem técnicos para o governo serão prestigiados, dentro das possibilidades e necessidades, claro”. 

Plano de governo
Segundo Dixon (PP), o seu principal compromisso é cumprir o plano de governo que apresentou à população, durante a campanha eleitoral. “Com uma equipe técnica a população terá respostas rápidas”, afirmou.

Funcionalismo
“Daremos total apoio aos servidores públicos. Ninguém será perseguido porque apoiou o Pavan, Tuta ou qualquer outro candidato. Não vai existir isso. Todos serão respeitados, pois nós queremos uma prefeitura que preste um serviço de qualidade para todos”, destacou o prefeito eleito.

Obras
Dixon (PP) prometeu devolver as obras públicas abandonadas. “As obras não são do prefeito A ou B, mas sim do povo paulinense e a ele todas que estão abandonadas serão devolvidas”.

Auditoria
O futuro prefeito também prometeu auditar as contas da Prefeitura. “Terei que fazer isso, até para que todos saibam como encontramos o município. Agora, quem tem que fiscalizar as coisas do passado são os órgãos competentes”, disse ele. 

O Vice
Durante a coletiva, Prefeito e Vice-Prefeito eleitos passaram uma sintonia muito importante. Questionado por nossa reportagem sobre o papel de Sandro Caprino (PRB) no futuro governo, Dixon (PP) foi enfático: “No meu governo, ninguém será vaso decorativo”.

Vereadores
“Todos vão participar do governo, exceto se houver desvio de interesses”, garantiu o prefeito eleito, ao falar sobre a futura relação do Executivo com os vereadores eleitos e reeleitos. “Sabemos que os vereadores tiveram e têm dificuldades de falar com os prefeitos. No meu governo eles não terão, até porque também foram eleitos para ajudar o povo”, comentou.

Nossa reportagem apurou que caberá ao vice-prefeito eleito e atual presidente da Câmara de Paulínia conduzir a relação Prefeito/Vereadores, a partir do próximo ano.

Foto: Túlio Silva/Correio Imagem

Comentar