Paulínia identifica cinco casos suspeitos da gripe H1N1 e Secretaria de Saúde alerta sobre a importância da “etiqueta...

Da Redação
31/03/2016 18:19:00
Paulínia identifica cinco casos suspeitos da gripe H1N1 e Secretaria de Saúde alerta sobre a importância da “etiqueta respiratória”, para evitar a contaminação

[imagem] A vacina contra a "influenza" chega em abril na rede pública municipal, mas já está disponível no setor privado

De acordo com O DEVISA (Departamento de Vigilância Sanitária) de Paulínia, o vírus da Gripe H1N1, que normalmente ataca entre meados do outono e durante o inverno, este ano veio mais cedo, exigindo dos setores de saúde e da população ações antecipadas contra a propagação da doença.


O Secretário de Saúde, Ricardo Carajeleascow, disse que a “antecipação da transmissão mobilizou as equipes para a assistência aos doentes e os protocolos de atendimento já estão em prática na Rede Ambulatorial e no Hospital Municipal de Paulínia (HMP), que passaram a receber um número grande de pacientes com sintomas gripais”. Segundo a Prefeitura, até a manhã desta quinta-feira (31), Paulínia registrou cinco casos suspeitos da Gripe H1N1

A partir de 30 de abril, quando a cidade receberá do Ministério da Saúde (MS) a vacina contra a H1N, a Secretaria de Saúde realizará Campanha para imunizar os grupos alvo, definidos no “Protocolo de Tratamento da Influenza” do MS, que são: profissionais de saúde, crianças entre 6 meses e 5 anos de idade, pacientes de HIV ou com doenças crônicas, com indicação de uso. “As outras pessoas que quiserem se imunizar podem encontrar as vacinas na rede privada, onde já começou a chegar nesta semana”, informou Carajeleascow.

Já o diretor do DEVISA, Hernany Justino falou sobre um medicamento usado para tratar casos mais graves da influenza. “O município dispõe do medicamento Tamiflu que é fornecido pelo Governo Federal e sua logística de entrega cabe à Secretaria Estadual de Saúde, para o tratamento dos casos graves ou daqueles em que haja fator de risco associado”, frisou ele.

Etiqueta Respiratória

O DEVISA esclarece que todas as medidas de “etiqueta respiratória” devem ser seguidas à risca pela população, para evitar a contaminação.

Veja as recomendações: 

- cobrir o nariz e a boca com lenço, ao tossir ou espirrar, e descartar o lenço no lixo após uso.
- lavar as mãos com água e sabão após tossir ou espirrar.
- no caso de não haver disponibilidade de água e sabão, usar álcool gel.
- evitar tocar olhos, nariz ou boca.
- evitar contato próximo com pessoas doentes.

Foto: Reprodução/Internet

Comentar