Dança partidária: DANILO PERDE PCdoB E DEVE DISPUTAR REELEIÇÃO PELO PR; Coligação PSDB/PRTB ou PSDB/PSB?;...

Da Redação
16/02/2016 17:18:00
Dança partidária: DANILO PERDE PCdoB E DEVE DISPUTAR REELEIÇÃO PELO PR; Coligação PSDB/PRTB ou PSDB/PSB?; Visou voto, é eleitoreiro – ou não? PSOL define Roberto Yamada para Prefeito!

[imagem] Boaaaaaaaaaaaaaaa taaaaaaaaaaaaaaaarde, meus amooooooores! O “Artigo de Domingo” estará de volta no próximo (21), com os temas políticos que bombam nas mesas real e virtual de Paulínia City. “VISOU VOTO, É ELEITOREIRO” – ou não? Vão pensando aí na resposta, pois este assunto dará um bom caldo – não tenho dúvidas. 


Palco da corrida pelo voto, desde que foi inaugurada em 2012, a Feira do São José continua recebendo pré-candidatos a  tudo quanto é cargo público. Anteontem (14), quem passou por lá foi o prefeiturável Tuta Bosco, acompanhado de Xandinho Ferrari (vestido a caráter), pré-candidato à Câmara, e os veteranos Odair Bordignon (ex-vereador, por cinco mandatos) e, aparentemente, pelo petebista Bonavita, também ex-vereador e ex-vice-prefeito.

No caso do Bona, se não estava acompanhando o prefeiturável e presidente do PPS Municipal, pelo menos apareceu na foto. O fato é que, daqui por diante, as alianças costuradas nos bastidores e guardadas a sete chaves vão aos poucos se tornando públicas, e o eleitor vai tomando ciência de “quem está com quem” - isso é excelente para o processo democrático de escolha, dia 02 de outubro. 

Falando em futuro, reservei especialmente para esta coluna uma frase do vereador Danilo Barros (PCdoB), durante a inauguração da creche que leva o nome do irmão dele (Felipe Macedo Barros), a qual me chamou bastante a atenção. “Prefeito, a gente não sabe que caminhos futuros nós vamos tomar, mais jamais esquecerei essa honraria à minha família”, disse ele ao espirituoso Pavan (PSB). Será que Danilo, sem querer, deixou escapar a possibilidade de um possível rompimento político futuro com o líder pavanista, para abraçar outro prefeiturável, nas eleições desse ano? Tudo é possível, pois, assim como a maioria da Câmara fez em 2013, o jovem vereador também largou Pavan (PSB) e se jogou no colo dos Moura (pai e filho). Depois, como a mesma maioria também fez, quando os “dois prefeitos” caíram de vez, Danilo voltou, outra vez, para o ninho pavanista – estou mentindo, senhores? 

Bem, se Danilo vai ou não “pular de galho”, trocar o espirituoso (politicamente falando) por fulano ou cicrano, mais uma vez, somente o tempo dirá. Agora, a presidência do PCdoB (Partido Comunista do Brasil) ele já perdeu para (apurei) o prefeiturável Tuta Bosco.  Maaaaaas, em compensação, (dizem) Danilo já teria garantido o PR (Partido da República), via pastor Paulo Freire, deputado federal por São Paulo - no site do TSE, o presidente do PR Municipal continua sendo o queridíssimo Luciano Ramalho. Se virou mesmo republicano, Danilo deve anunciar a mudança tão logo a “janela partidária” seja aberta oficialmente, pelo TSE. Inclusive, segundo um passarinho, ele já teria avisado ao prefeiturável Dixon Carvalho que está com o PR nas mãos. 

Apesar de continuar batendo o pé que será o candidato do PSDB à sucessão do espirituoso Pavan (PSB), se algo der errado, Dixon poderá, sim, voltar ao PR, para onde foi após deixar o PT e antes de virar tucano. Bem, segundo o TodoDia, o espirituoso disse que se for para a disputa das eleições 2016 “deve manter a coligação PSDB e PRTB” (não seria PSDB/PSB?). Voltando ao Danilo, dizem também que ainda existe a possibilidade de ele permanecer no PCdoB – isso, dependeria do resultado de uma possível “conversa” que teve ou terá (sei lá) com o líder do novo grupo político, abraçado pela legenda comunista. Repito: Tudo é possível – e bem possível.

Confirmado mais um pré-candidato a Prefeito de Paulínia: o queridíssimo Roberto Yamada, do PSOL, que se apresenta como o único partido local “sem nenhum conchavo (político) e que pode mudar os rumos da city”. O nome do comerciante foi aprovado por unanimidade, durante encontro recente com filiados e militantes da legenda. Nome, tradição, história e credibilidade, pessoal e politicamente falando, Yamada tem “pra dá e vender”. “Boa sorte na disputa, amadooooooo”!

Críticas e questionamentos não são o problema, muito pelo contrário, fortalecem o debate político e ajuda à formar opiniões sobre essa ou aquela pessoa, esse ou aquele governo. O problema, em alguns casos, é quem critica ou questiona. QUE MORAL POLÍTICA TEM UM EX-DIRETOR DE FINANÇAS E EX-ASSESSOR ESPECIAL DA PIOR ADMINISTRAÇÃO DE PAULÍNIA, PARA CRITICAR OU QUESTIONAR O QUE QUER QUE SEJA, NO CAMPO POLÍTICO-ADMINISTRATIVO DA CITY?  Pode até ter direito, mas moral política NENHUMA - NEVER, JAMÉ! Principalmente, quando o assunto for GASTOS PÚBLICOS ou PAULIPREV. 

O cara passou 17 meses calado, enquanto os cofres municipais eram surripiados, o dinheiro do Pauliprev escorria por um cano tão grosso quanto o que a Globo usa para identificar a operação Lava-Jato, entre outros absurdos, e, agora,  o “santinho” vive questionando “isso e aquilo outro” nas redes sociais, como se tivesse cacife para tal -  ahhhhhhhhhhh, é de lascar qualquer cano, por mais grosso que seja (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). E o pior é que, além disso, ele já começou a meter o pau no antigo patrão, que antes pintava e defendia como o “deus da bondade” e da “probidade”. E AINDA TEM GENTE QUE ACREDITA QUE TIPOS, COMO ESSE, PODE AGREGAR ALGUMA COISA. Misericórdia! Sem mais comentários.

Bem meus amoooooores, por hoje é só. QUE A PAZ E A PROTEÇÃO DO NOSSO DEUS ESTEJAM SEMPRE EM NOSSAS VIDAS. Muitos beijos e abraços. Au revoir!

Foto: CMP

Comentar