“CAIXA” DA CÂMARA SUBIU À R$ 26 MILHÕES: será que vão derrubar o prédio Ulisses Guimarães...

Da Redação
22/01/2016 16:18:00
“CAIXA” DA CÂMARA SUBIU À R$ 26 MILHÕES: será que vão derrubar o prédio Ulisses Guimarães e construir um novo? CAPRINO E PALITO DEVOLVERAM MENOS; Da Bola (PSB) e Fiorella (PP) pouparam mais!

[imagem] Boaaaaaaaaaaaaaaaaaa tarde meus amoooooores! A semana vai terminando marcada pela morte repentina de Paulo Franco, amigo de infância e assessor especial do espirituoso Pavan (PSB). Tivemos poucos encontros, mas posso garantir que, em todos, ele foi muito atencioso e simpático comigo. Uma pena! Que Deus conforte a Família Franco Campos e que a alma do Paulão descanse em paz. Enquanto isso, vamos seguindo pela vida.


Um passarinho me contou que, em conversa recente com um atuante deputado estadual, o federal Carlos Sampaio (PSDB) teria dito que não aceita outra posição do PSDB Municipal, que não seja a indicação de Dixon Carvalho para candidato a prefeito da legenda, nas eleições deste ano. Sampaio está convicto que o ex-petista é o único nome capaz de levar o PSDB local, pela primeira vez, ao comando da Prefeitura de Paulínia. Eita gota! Será que o diretório tucano local vai ceder aos caprichos do “rei da cocada preta”?

Terça-feira (26), os vereadores voltam ao Plenário para a 1ª Sessão Ordinária de 2016, a partir das 18 horas, com transmissão ao vivo pela TV Câmara, na internet. A pauta dos trabalhos deverá ser publicada, entre hoje (22) e amanhã (23), no site da Casa. Durante o recesso, nenhuma viagem longa, afinal, as mudanças na legislação e no calendário eleitoral, a partir deste ano, exigem o planejamento e a execução de novas estratégias rumo à reeleição, dia 02 de outubro - “DE OLHO NAS REGRAS” é a série do Correio, sobre as novidades.

O presidente Sandro Caprino (PRB) fechou 2016 comemorando a devolução à Prefeitura de R$ 929.748,15 dos R$ 22,2 milhões que a Câmara recebeu durante o exercício passado. A “façanha” rendeu ao atual ordenador de despesas do Legislativo espaços em jornais impressos e eletrônicos. A estratégia, no meu ponto de vista, foi contrariar a fama de “gastão” do dinheiro público que Caprino (PRB) conquistou em 2015, primeiro ano de sua gestão presidencial. Será que colou? Tenho as minhas dúvidas.

Como adooooooro mexer com esse negócio de gastos públicos, revirei meus arquivos sobre os valores que a Câmara devolveu à Prefeitura nos últimos cinco anos, para saber se o "foguetório capriniano" faz mesmo sentido. Pois bem, depois do ex-presidente Palito, Caprino (PRB) foi o que menos devolveu dinheiro aos cofres municipais, e os campeões de devolução, no período, foram os ex-presidentes Marquinho da Bola (PSB) e Fiorella (PP).  Vamos aos números? Em 2011, Marquinho da Bola (PSB) devolveu R$ 3.480.574,56 dos R$ 22,5 milhões destinados à Casa

Em 2012, a Câmara terminou presidida por Palito (na época do PCdoB e atualmente Solidariedade), depois que Bola teve o mandato cassado pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral), por infidelidade partidária. Naquele ano, dos R$ 24 milhões da Casa sobraram e foram devolvidos apenas R$ 541.445,28. No exercício seguinte, 2013, Fiorella (PP) assumiu a Presidência com R$ 22 milhões para gastar, e em dezembro devolveu R$ 2.769.217,84. 2014 chegou, o “peixe” continuou presidente e o caixa da Câmara aumentou para R$ 25 milhões, dos quais R$ 1.583.333,34 retornaram para os cofres da Prefeitura.

2015 foi o ano do novato Caprino (PRB) assumir a cadeira presidencial, com total e irrestrito apoio dos dois ex-prefeitos da city, cassadíssimos pela Justiça Eleitoral. Com 22 milhões e 200 mil reais para administrar, Caprino (PRB) danou-se a gastar, de tudo quanto é jeito. Aumentou a frota legislativa com cinco carros zerinhos, mandou trocar o carpete do Plenário, aumentou o contrato de refeição, turbinou a banda larga da Casa, reformou o estacionamento de cima, contratou empresa privada de segurança, trocou todas as lâmpadas, entre tantas outras despesas, muitas delas de necessidade duvidosa -  e tudo a preços nada baixos. No final do ano sobraram os pouco mais de 900 mil reais devolvidos por ele. “É fundamental atender as demandas da Casa sempre com responsabilidade com o dinheiro público”, declarou ele, à imprensa – Ah, váááááaá! Ah, tááááááááá´!!! 

Mesmo com um orçamento menor em relação ao ano de 2014 e pelo fato de não ter realizado nenhuma grande obra, como o Anexo do Prédio Ulisses Guimarães inciada na gestão Da Bola/Palito e entregue na de Fiorella (PP), a Câmara gastou muuuuuuuuuuuuuuuuuito em 2015. Agora, foquem aqui: O ORÇAMENTO 2016 DA CÂMARA É DE R$ 26 MILHÕES, ou seja, R$ 3,8 milhões a mais que no ano passado. Que será que Caprino (PRB) pretende fazer com tanto dinheiro, hein? Será que vai mandar derrubar o atual prédio e fazer um novinho em folha (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas)?

Pergunto isso, porque é o Presidente no cargo que elabora o plano anual de gastos (inclusive com obras) da Câmara – plano este que serve para o Chefe do Poder Executivo definir quanto o Legislativo receberá da Prefeitura, em cada exercício financeiro. Como Paulínia ainda não atingiu 100 mil habitantes, a Câmara só pode receber até 7% da arrecadação anual do município. 

Em pleno ano eleitoral, uma dinheirama dessa é muito mais do que “mel na chupeta”, principalmente para quem vai disputar a reeleição e precisa “mostrar serviço”. E mais ainda, para quem já sentiu o gostinho da cadeira-mor da Prefeitura, mesmo que por apenas dois desastrosos dias, e anda espalhando por aí que poderá ser o candidato da máquina, caso o espirituoso não concorra um novo mandato. Gente do céu, quando me contaram isso “chapei” sem tomar uma dose sequer da velha e boa Pitú (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). Misericórdia! Pela mãe do guarda! Me abana Chicaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

Amados e amadas, tenham todos um weekend espetacular, com muito amor e alegrias.  FIQUEM NA PAZ E PROTEÇÃO DO SENHOR JESUS CRISTO. Muuuuitos beijos e abraços. Au revoir!

Foto: Arquivo/CP Imagem

Comentar