Saudoso ministro Rodrigo Otávio, Patrono do Fórum de Paulínia, é celebrado por juízes, prefeito e...

Da Redação
14/10/2015 12:17:00
Saudoso ministro Rodrigo Otávio, Patrono do Fórum de Paulínia, é celebrado por juízes, prefeito e secretários municipais

[imagem] Na manhã de ontem (13), a juíza da 2ª Vara e Diretora do Fórum Distrital de Paulínia, Marta Brandão Pistelli, comandou a celebração pelo Dia do Patrono do Fórum, o saudoso ministro Rodrigo Otávio, falecido em 1944.  

A cerimônia contou com as presenças do prefeito José Pavan Junior (PSB), do juiz da 1ª Vara, Carlos Eduardo Mendes, das secretárias municipais Iraci Delgado (Chefia de Gabinete), Flávia Helena B. Bertoni (Negócios Jurídicos) e do presidente da OAB de Paulínia, Dauro de Oliveira Machado, além de funcionários do fórum e convidados.

 
De acordo com a assessoria de imprensa municipal, Pavan destacou que o Fórum de Paulínia levou o nome do Ministro Rodrigo Otávio durante o governo do seu pai, José Pavan, que governou a cidade entre os anos de 1983 e 1985. “Poucas pessoas sabem ou lembram que este fórum tem o nome do ilustre ministro, que hoje tem a placa comemorativa inaugurada oficialmente, instituído pelo Tribunal de Justiça em 1985”, disse o prefeito.
 
De acordo com a juíza da 2ª Vara e diretora do Fórum de Paulínia, Marta Brandão Pistelli, “a homenagem faz parte do Programa Agenda 150 anos de Memória Histórica do Tribunal Bandeirante, que visa resgatar a importância de personagens ilustres que hoje denominam os edifícios dos fóruns do Tribunal de Justiça no Estado”. 
 
Biografia

O Ministro Rodrigo Otávio nasceu em Campinas, no dia 11 de outubro de 1866 e faleceu no Rio de Janeiro, em 28 de fevereiro de 1944, foi advogado, professor, magistrado, contista, cronista, poeta e memorialista brasileiro. Participou, desde o início, do grupo de escritores que fundaram a Academia Brasileira de Letras. Presidente do Supremo Tribunal Federal, condecorado por 14 nações. Assim sua passagem na história do Brasil foi de grande destaque e importância no mundo jurídico, além de contribuir com valiosas obras para a literatura brasileira.

Fotos: Divulgação/PMP

Comentar