Saúde contrata mais dez médicos e lança campanha nas academias da cidade contra o uso indiscriminado de anabolizantes, sem...

Da Redação
24/09/2015 16:10:00
Saúde contrata mais dez médicos e lança campanha nas academias da cidade contra o uso indiscriminado de anabolizantes, sem orientação médica

[imagem] Os novos médicos atenderão no HMP, Unidades Básicas de Saúde, Centros de Geriatria e Especialidades, além do programa Saúde em Casa


Médicos reumatologista, pneumologista, intensivista adulto, ginecologista/obstetra, dermatologista, infectologista, cirurgião vascular e anestesista, aprovados em concursos públicos de Paulínia, entre 2011 e 2014, foram contratados pela prefeitura da cidade, neste mês de setembro. No total, segundo a assessoria de imprensa municipal, dez novos especialistas reforçarão o atendimento no Hospital Municipal - HMP, Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Centros de Geriatria e Especialidades, além do programa Saúde em Casa.
 
Ainda segundo a assessoria, desde 6 de fevereiro, quando o Prefeito José Pavan Junior (PSB) reassumiu a Prefeitura, já foram contratados 182 profissionais na área da saúde (41 médicos, 29 enfermeiros, 24 farmacêuticos, 52 técnicos de enfermagem entre outros), com investimento de R$ 4,88 milhões. “Paulínia ainda desperta atrativos para a escolha dos profissionais de saúde. Há boas condições de trabalhos, salários compatíveis ao mercado, benefícios e um localização estratégica, na Região Metropolitana de Campinas, que facilita o desempenho dos médicos”, comentou o secretário de Saúde, Ricardo Carajeleascow.
 
Outras contratações

A Administração Municipal também contratou, pelo Estatuto dos Funcionários Públicos Civis da Administração Direta da Municipalidade, quatro auditores fiscais tributários para a Secretaria Municipal dos Negócios da Receita e dois agentes de licitação para atuarem junto à Secretaria Municipal de Finanças e Administração, todos aprovados em concurso público de 2012.

Campanha nas academias 

O Departamento de Vigilância em Saúde (DEVISA), da Secretaria de Saúde de Paulínia, iniciou nestaa quinta, dia 24, uma campanha nas academias fitness da cidade, alertando os amantes do esporte quanto ao uso racional de esteroides anabolizantes e o risco do uso indiscriminado dos mesmos, sem acompanhamento médico e sem indicação clínica diagnosticada. Os profissionais do ramo que prescrevem estas substâncias, também serão alertados e orientados no sentido de avaliarem criteriosamente a indicação de anabolizantes e, se possível, que sugiram outras alternativas terapêuticas cabíveis. 

Segundo  o diretor da  DEVISA, Hernany Henrique Garcia Justino, no  ato da visita será entregue material contendo informações sobre uso indevido de tais medicamentos e as implicações da venda indevida. O não cumprimento legal e sanitário da venda de anabolizantes está sujeito às penalidades previstas na Lei 6.437/77, Art. 10 e no Art. 273 do Código Penal – Decreto Lei 2.848/40.

No documento terá as seguintes informações: uso indiscriminado pelos homens de anabolizantes esteroides, sem acompanhamento médico, pode causar impotência, infertilidade, calvície, aumento da pressão sanguínea, dores nas juntas, alteração das taxas de colesterol, distúrbios na coagulação do sangue, tumores no fígado e no pâncreas, ataque cardíaco e até morte.

Nas mulheres, os efeitos incluem o engrossamento da voz, alteração do ciclo menstrual, surgimento de pelos no corpo e no rosto, crescimento anormal do clitóris e até o câncer de ovário.

Nos últimos anos vem aumentando significativamente a influência da mídia pela busca incessante de corpos perfeitos e músculos hipertrofiados, a venda desses medicamentos pela internet, a difusão da venda clandestina no mercado negro dentro das academias e o grande número de medicamentos anabolizantes sem registro na ANVISA.
 
“Tomadas de decisões mais seguras e conscientes sobre o uso de produtos de saúde, inclusive sobre o uso de esteroides anabolizantes, também podem ser auxiliadas pelo portal do projeto Click Saudável da ANVISA”, informa a assessoria de imprensa da Prefeitura de Paulínia. 
 
Foto: 

Comentar