O que vi do Carnaval; 2º escalão; "Reis não se misturam"; Números; Cadê as 800?; Quinta fatal; Nas...

Da Redação
13/02/2013 00:00:00
O que vi do Carnaval; 2º escalão; "Reis não se misturam"; Números; Cadê as 800?; Quinta fatal; Nas mãos da Ministra; MCCE em Brasília.

Boa taaaaaaaaaaaaaarde meus amores.  Domingo, no Fantástico, Neguinho da Beija-Flor contou o que viu da vida. Hoje, quarta-feira de cinzas, eu conto o que vi do Carnaval 2013. Vi a Mangueira entrando com duas baterias na Sapucaí, arrepiando a nação verde e rosa no país inteiro. Que desfile foi aquele? Maaaaaaaaas... abusaram muito da sorte e o último carro alegórico acabou preso na torre dos fotógrafos, o que atrasou ainda mais o término da apresentação da escola, que pode perder o campeonato por seis décimos, no mínimo. Uma pena ? põe pena nisso. Logo mais à tarde conheceremos a campeã carioca. Em São Paulo deu Mocidade Alegre, bicampeã do Carnaval Paulista.

 Não vi o Carnaval de Rua da city, mas meus ?olheiros? na José Paulino viram e me contaram tudo. O bloco Dinossauros arrepiou com banda, os queridíssimos Tavinho e Edmundo se revezando nas marchinhas, e aproximadamente 2 mil ?dinos? cantando e pulando, como nos velhos e bons tempos. O bloco da Terceira Idade também animou os foliões, que curtiram até o início da madrugada ao som da Banda 2001 e do cantor Trovão.

A apresentação política ficou por conta do bloco ?Sorria Paulínia?, formado por simpatizantes da coligação homônima, barrada duas vezes pela Justiça Eleitoral nas eleições de outubro passado. Como foi político tenho o direito de analisar o bloco politicamente ? ou não? Adoooooro!

Como forma de manifestação, nada contra (NADA MESMO). Agora, os ?homenageados? pelo bloco não se juntarem aos seus ?guerreiros? foi no mínimo muito deselegante. Também seria uma sandice imaginar os ?Dois Prefeitos? descendo a avenida juntos e misturados com um escalão politicamente inferior a eles. É ruim hein! Eles não ?desceriam? tanto. Para esse povo, ?segundo escalão? só de longe, mascarado com suas fotos e gritando os seus ?santos nomes?. Deus me livre!

 Pelas imagens do bloco ?arreganha os dentes, se não a gente quebra? (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas), tinha dez máscaras do pai para cada uma do filho. Até nisso o egocentrismo fala mais alto. Também as imagens divulgadas não mostram figuras mouristas ilustres, como Mário Lacerda, Seu Machadinho, Arthurzinho Freire, entre outras, engrossando o bloco. Será que eles não se consideram do ?segundo escalão??

Pelo menos no quesito número de integrantes, o bloco nem passou perto das quantidades que se falava (mil, mil e duzentos e por aí vai...). O queridíssimo Edvaldo Silva, um dos organizadores do Sorria Paulinia me disse na quarta-feira (6) que o bloco já tinha 800 componentes. Gente, onde foi parar esse povo todo, já que apenas 150 (no máaaaaaaaaaximo) compareceram na avenida? Será que acreditaram na minha sandice de que poderiam perder os dentes e por isso se escafederam (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas)? Sorry! Foi brincadeirinha!

 Números, números e mais números. Na guerra política entre mouristas e pavanistas, definitivamente, os números não decidiram nada, pelo menos até agora. Muito pelo contrário, os números só têm feito muita gente pagar verdadeiros ?gorilas?, que ficarão para sempre nas memórias de quem pagou e de quem assistiu e acreditem: alguns serão motivos de arrependimento eterno.

 Os números só mudarão (para melhor ou pior) a situação dos principais personagens desta guerra, depois que o TSE decidir pelo ?entra? ou ?continua?. Antes disso, eles só estão servindo para mostrar fracassos de todos os tipos e o quanto a população se ferra com as armações e tentativas de golpes de pessoas que já tiveram as suas chances de fazer algo real por ela e não fez. Este é o meu pensamento.

 Amanhã, dia 14, a ministra Nancy Andrighi (TSE) receberá os advogados das Coligações Sorria Paulínia (Moura) e Trabalho Pra Valer (Pavan). Se não houver nenhum imprevisto, o encontro ocorrerá às seis e meia da tarde e promete ser fatal para um dos lados. O papel dos advogados das partes será mostrar para a Magistrada que os seus clientes ?têm razão?. Traduzindo: que um deve ?entrar? e outro deve ?continuar?. Mas, como não existe esse negócio de uma cidade com ?dois prefeitos?, como Moura pai e Moura filho querem ser, a Ministra Nancy decidirá por um.

 Um ou outro, a decisão ainda não será definitiva. É preciso entender que cabe à Ministra Nancy julgar apenas o pedido dos advogados de Moura para tirar Pavan e colocar o filho, atééééééééé o julgamento final - dessa vez por todos os ministros do TSE - da situação embaraçosa vivida por Paulínia. Ixiiiiii!!! As previsões mais otimistas dão conta que este bafo ainda deve durar até abril, pelo menos.

 Em Brasília, o Movimento Contra a Corrupção Eleitoral (MCCE) de Paulínia está fazendo barulho. Daniel Carvalho, presidente da célula paulinense do respeitado movimento nacional, foi entrevistado pela TV Justiça, coordenada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), pelo Correio Braziliense, entre outros veículos de comunicação da capital brasileira. Conversei por telefone com Carvalho. ?Estamos acompanhando tudo de perto, pois não podemos admitir o que aconteceu em Paulínia. O MCCE está alimentando as autoridades aqui de Brasília com informações e documentos que mostram a fraude eleitoral ai na cidade. Estamos fazendo a nossa parte, enquanto Movimento que combate a corrupção eleitoral no país inteiro?.

Carvalho me disse que tem uma audiência prevista para o próximo dia 28 com a meritíssima Carmem Lúcia, ministra presidente do TSE. Que venham os próximos capítulos desta trama política, jamais imaginada.

 Antes de finalizar devo lembrar que amanhã (14) também tem sessão na Câmara da city, a partir das 18h00. Agora, fiquem todos sob a PROTEÇÃO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO. Beijos, abraços e até sexta-feira. Au revoir!

Foto: Cedida/MCCE

Comentar