TSE rejeita “agravos mouristas” e mantém decisão da ministra Luciana Lóssio, inocentando PAVAN, VANDA, MIZAEL,...

Da Redação
27/08/2015 10:37:00
TSE rejeita “agravos mouristas” e mantém decisão da ministra Luciana Lóssio, inocentando PAVAN, VANDA, MIZAEL, DJALMA E TIGUILA

[imagem] Oposição insistia na inelegibilidade do prefeito, vice, jornalista, diretor de O Cromo e o ex-diretor do Correio Paulinense

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou agora há pouco dois agravos regimentais contra a decisão monocrática da ministra Luciana Lóssio, de 15 de dezembro do ano passado, inocentado o prefeito de Paulínia, José Pavan Junior (PSB), a vice dele, Vanda Camargo (PSDB), o jornalista Mizael Marcelly, o diretor de O Cromo, Djalma Moda, e o vereador Tiguila Paes (PRTB), ex-diretor do jornal Correio Paulinense da acusação de uso indevido de meios de comunicação social, nas eleições municipais de 2012.


Nos agravos, o Partido Social Democrata Cristão (PSDC) e Partido Trabalhista Cristão (PTC), autores da ação inicial e integrantes da coligação mourista “Sorria Paulínia”, pediam que Pavan, Vanda, Mizael, Djalma e Tiguila, já inocentados, fossem de novo a julgamento, dessa vez pelo colegiado eleitoral. Entretanto, ao rejeitar os agravos, na prática, o TSE decidiu, por unanimidade, que a decisão monocrática da ministra Luciana foi acertada, não sendo necessária nova apreciação dos fatos.  

Segundo advogados ouvidos pelo Correio Paulinense Online, a rejeição dos agravos encerra, definitivamente, a AIJE (Ação de Investigação Judicial Eleitoral) 82678/2012 proposta pelos partidos ligados aos ex-prefeitos Edson Moura e Edson Moura Junior, fichas sujas na Justiça Eleitoral. Com isso, Pavan, Vanda, Mizael, Djalma e Tiguila permanecem com seus direitos políticos assegurados. 

“Nunca duvidei que o resultado fosse esse. Seria o cúmulo a minha ficha eleitoral ser manchada por ter, no pleno exercício da minha liberdade de expressão e de imprensa, denunciado, entre outras coisas, a vergonhosa fraude eleitoral ocorrida na cidade, em 2012”, disse Mizael Marcelly . “Estou tão feliz, tão feliz que estou pensando até me candidatar a prefeito”, concluiu, às gargalhadas. 

Nossa reportagem tentou contato com as assessorias dos demais envolvidos e também com os partidos PSDC e PTC, mas ninguém foi localizado, em tempo. Mais notícias sobre o julgamento  você confere amanhã (28) na coluna Deixem-me Falar...

Foto: Reprodução/Internet

Comentar