Moura passou o dia de ontem em Paulínia, provavelmente tratando da defesa do “vídeo”, e conduta profissional de Adriana...

Da Redação
18/06/2013 14:47:00
Moura passou o dia de ontem em Paulínia, provavelmente tratando da defesa do “vídeo”, e conduta profissional de Adriana Bucoff é questionada no Ministério Público.

[imagem] Boa taaaaaaaaaaaaaarde meus amores! Gente do céu, 20 centavos viraram 200 – duzentas mil pessoas protestando em várias cidades e capitais brasileiras, nesta segunda-feira. O “Movimento Passe Livre”, que muitos acreditavam ser apenas uma manifestação contra o aumento da tarifa de ônibus na capital paulista, provou que é muito mais do que isso (veja a imagem ao lado). São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Brasília tiveram uma segunda-feira de muitos protestos e confrontos entre manifestantes e as tropas de choque da Policia Militar. Grupos desgarrados do movimento central protagonizaram cenas de violência e vandalismo. 

Em Campinas, a principal cidade da região, um protesto contra a tarifa de R$ 3,30 está previsto para quinta-feira, dia 20, no Largo do Rosário, a partir das 17hs. O prefeito Jonas Donizete já determinou um estudo de impacto da Secretaria de Transportes para analisar a possibilidade de reduzir a tarifa campineira.  O movimento está sendo organizado pelo Facebook, assim como aconteceu com os demais ocorridos, até agora, no país.

Em Paulínia, o usuário do transporte coletivo paga apenas R$ 1,00 na catraca e a Prefeitura complementa, com o dinheiro dos impostos, o valor da tarifa, que é de R$ 2,30. Até 2008, o passageiro paulinense pagava o valor total direto na catraca. Além disso, a tarifa de ônibus aos domingos e feriados é 100% subsidiada pela Prefeitura.  A Passaredo, que explora o serviço na city, adaptou quase 100% da frota para cadeirantes e tem trabalhado para melhorar cada vez mais a qualidade do serviço prestado a população.

Uma movimentação para pegar carona no “Passe Livre” e reunir partidários do ex-prefeito Edson Moura (PMD) em frente a Igreja São Bento está acontecendo no Facebook. Até a ex-primeira-dama da city confirmou presença. Será que vai mesmo? Porém, até mesmo quem diz que vai, questiona o horário e o dia marcado pela “organização” do babado. Sei não, mas desconfio que o protesto na city será a favor da corrupção e da “ficha-suja”, contrariando a linha do movimento nacional que se opõe justamente a tudo isso.

Recentemente esse mesmo grupo anunciou uma passeata com direito a queima de pneus e tudo na Rodovia Zeferino Vaz (SP 332), nas proximidades da Replan, mas a ideia não vingou. Na época,  a “organização” informou que resolveu adiar o ato marcado para 11 de maio em respeito ao velório do bebê morto pelo São Bernardo, ocorrido no mesmo dia.  “Em breve informaremos a nova data”, postaram no Facebook, mas até hoje não tocaram mais no assunto – nada de passeata. Embora o tema mereça, desta vez não serei sarcástico, mas sim direto e reto.

Movimentos como o citado acima fracassam antes mesmo de acontecerem ou são um fiasco quando acontecem porque não são aprovados pela população. E por que não são aprovados pela população? Porque a população não é burra e sabe que tais manifestações são orquestradas e movidas mera e simplesmente por interesses políticos individuais. Cada um defendendo “o seu” e o coletivo (o povo mesmo) que se lasque.  Um coro de 200 mil pessoas exigindo mudanças para o país é uma coisa; “meia dúzia” gritando “Fora Moura” (2006), “Fora Pavan” (2011) ou “Vem Juninho” (2013) não merece crédito da massa mesmo.  Por exemplo, o povo sabe que na verdade não é “Vem Juninho” e sim “VEM MEU CECEZINHO”. É mentira? Por isso que o povo, até hoje, nunca deu trela pra este tipo de coisa.

Mudando de assunto. Pelo menos duas denúncias questionando a conduta profissional de Adriana Bucoff, diretora do Cartório Eleitoral de Paulínia foram feitas ao Ministério Público de Paulínia, entre quinta e sexta-feira da semana passada. A ”lindinha” é suspeita de privilegiar com informações advogados e partes envolvidas em processos que correm na Justiça Eleitoral da city, além de manter relações pessoais muito próximas com eles.

Apurei que em uma das denúncias foram juntadas fotos da diretora do cartório supostamente em frente à casa de Arthur de Campos Freire, advogado do ex-prefeito Edson Moura, que está sendo processado, juntamente com o filho Edson Moura Junior, por suposta compra de votos na campanha política passada. Estou apurando mais detalhes sobre as denúncias para poder ouvir a diretora.

Os rumores de que Adriana Bucoff tem “alma mourista” e que ela até já teve um affair  com o advogado Arthur Freire não são de hoje. Em uma das vezes que fui ao cartório, no ano passado, conversei com  a “lindinha” sobre o assunto e ela negou os boatos. Na ocasião, disse a ela que ninguém tem nada a ver com a sua preferência política, desde que isso não interfira na sua conduta profissional. E é  justamente isso que o MP deve apurar. Hoje, segundo dizem, o novo love da diretora é o jornalista Raoni Zambi, ex-TodoDia e assessor de imprensa (pelo menos é assim que ele se apresenta) do ex-prefeito Edson Moura.

Falando em Moura, ontem o ex-prefeito passou o dia inteiro em Paulínia City, mas precisamente na house do queridíssimo Jaiminho. O que ele andou fazendo por aqui, depois de tanto tempo “internado” em Brasília, não é para quem quer saber e sim para quem pode saber.  Mas, deve ter sido sobre assuntos ligados a defesa dele e do filho no processo por compra de votos. O prazo termina hoje.

Um passarinho me contou que a defesa de Moura pode adotar a estratégia de protocolar a defesa em outra zona eleitoral para retardar a sentença de primeira instância. Segundo informações, esse tipo de manobra não é permitida pela legislação eleitoral, maaaaaaaaas...

Bem meus amores, por hoje é so. Uma tarde abençoada para todos nós e que Deus nos proteja seeeeeeeeempre. Beijos, abraços e até  sexta-feira, com mais bafos e babados. Fuuuuuiiiiii!!!

Comentar