OXI! E ELES QUEREM CONSTRUIR CASAS PRA PESSOAS DE FORA, NUMA ÁREA QUE PERTENCE AO POVO DE PAULÍNIA É? Capivara disse que...

Da Redação
22/07/2015 16:43:00
OXI! E ELES QUEREM CONSTRUIR CASAS PRA PESSOAS DE FORA, NUMA ÁREA QUE PERTENCE AO POVO DE PAULÍNIA É? Capivara disse que ninguém provou nada contra ele; QUEM GANHOU A LICITAÇÃO dos carros da Câmara, hein?

[imagem] Boaaaaaaaaaaaaaaa taaaaaaaaaaaarde meus amoooooooores! Vamos tricotar sobre a reunião entre a Prefeitura, Caixa e Frente Social pela Moradia de Paulínia, de Daniel Messias, Capivara e Cia? Pra começar, os representantes da Caixa afirmaram que a linha de crédito para a Fase 3 do Minha Casa Minha Vida, ainda nem foi aberta pelo Governo Federal e que, talvez, nem aconteça este ano. O banco público também confirmou que a FDDIP, de Marco Antonio, o Capivara, e Paula Fernanda, não está habilitada para o programa, porque ainda não completaram a documentação exigida. Capivara prometeu entregar os documentos faltantes. 


A Caixa também esclareceu o seguinte: as entidades habilitadas pelo Minha Casa Minha Vida entram numa fila de espera pelos recursos do programa e a quantidade máxima, que cada entidade pode construir, é 100 (cem) unidades, mas para as entidades iniciantes, sem experiência no programa, geralmente são liberados recursos para metade disso – ou seja, 50 moradias. A informação da quantidade máxima de casas, por entidade, me levou a fazer umas continhas interessantes.

Vamos lá!  O Capivara “quer porque quer” obrigar a Prefeitura doar a antiga Fazenda Paraíso para a FDDIP, que ainda nem tá habitada, construir casas pro povo (Ah, tha!). A área pretendida tem mais de 1 milhão de metros quadrados, divididos em quatro glebas. A menor das glebas tem pouco mais de 50 mil m2. Imaginando que a Prefeitura doasse essa gleba menor e lá a FDDIP construísse 100 casas de 59,72 m2, em lotes de 160 m2, igualzinho as casas e lotes do Residencial Vida Nova, sobraria aí, por baixo, uns 30 mil metros de área. O que seria feito com essa sobra de terra? Será que eles doariam para eu construir a mansão dos meus sonhos, tooooooooooda cor-de-rosa, com escadarias a lá Moulin Rouge (Paris), piscina coberta, e quartos suficientes para hospedar o elenco masculino de Miami Vice (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas)? Brincadeirinha!

Outro fato curioso. A tal Frente Social Pela Moradia, fundada pelo consultor técnico da FDDIP, Daniel Messias, leva o nome de Paulínia no final, mas, segundo apurei, Capivara disse na reunião de ontem que pessoas de cidades vizinhas, como Sumaré, seriam beneficiadas com as casas que a Associação dele pretende construir aqui, na city. Oxi! Que zorra é essa? Então, ELES QUEREM CONSTRUIR CASAS PRA PESSOAS DE FORA, NUMA ÁREA QUE PERTENCE AO POVO DE PAULÍNIA É? Mas é um disparate mesmo!!!

Então, sendo assim, DE PAULÍNIA, essa tal Frente Social Pela Moradia não tem nada ou quase nada– concordam? E como se não bastasse isso, eles ainda deixaram um documento de INTENÇÃO DE DOAÇÃO DA ÁREA para o prefeito Pavan (PSB) assinar. Eita peste! Acabei de rasgar mais um “tubinho”, legítimo Chanel (gargalhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadas). 

Sobre a condenação na primeira instância judicial de Americana, por suposto estelionato contra 30 associados da FDDIP, que teriam pago por casas que nunca foram construídas ou terrenos que nunca receberam, o “relações públicas” (Capivara) da FDDIP  disse na mesa que está recorrendo da decisão, pois ninguém conseguiu provar nada contra ele. Oxi! Então as 30 pessoas, que, segundo o juiz André Carlos de Oliveira, de Americana, acusaram Capivara, Paula e outro diretor da Associação, mentiram à Justiça? Trinta, mentindo ao mesmo tempo? Okay, okay!! Como bem disse Daniel Messias, consultor técnico da FDDIP de Capivara, vamos aguardar as próximas decisões do Poder Judiciário sobre este caso.

Após prestar os devidos esclarecimentos, o pessoal da Caixa deixou a Prefeitura, antes da reunião terminar. Além de Daniel, Capivara, Paula Fernanda e o presidente da Associação do Parque da Represa, participaram da mesa a Secretária-Chefe de Gabinete Iraci Delgado, os secretários Paulo Bush (Habitação) e Fábio Feldman (Segurança). Até fui convidado por Daniel para participar, mas me informaram que o encontro seria apenas entre os interessados no assunto. Como nunca fui "bicão", não fui, óbvio.

A Prefeitura esclareceu que o projeto habitacional para este ano é o início da construção de mais de 1.400 apartamentos, na área do antigo Acampamento Menezes, para famílias baixa-renda. Repetindo o que disse na coluna passada: PAULÍNIA TEM PREFEITO, SECRETÁRIO DE HABITAÇÃO E PROGRAMA HABITACIONAL PRÓPRIO. Vaiiiiiii!!!!!

Mudando de assunto, até agora não se sabe qual fabricante ou revendedora de veículos ganhou a licitação da Câmara da City, para a compra de quatro novos zero quilômetros. O Pregão Presencial da aquisição aconteceu sexta-feira (17), porém, no Portal da Transparência do Legislativo Municipal ainda não consta quem ofereceu o menor preço global e levou. Continuarei acompanhando e assim que essas informações estiverem disponíveis retransmito, com o maior prazer.

Agora vou almoçar, pois estou varado de fome. Beiiiiiiiiiiijos e abraaaaaaaaaaaços, meus amores. FIQUEM COM DEUS. Au revoir!

Comentar