O CGR Paulínia, que recebe os resíduos de 16 cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC), foi avaliado em 9,8 pelo...

Da Redação
03/06/2015 14:22:00
O CGR Paulínia, que recebe os resíduos de 16 cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC), foi avaliado em 9,8 pelo órgão ambiental.

[imagem] Os Centros de Gerenciamento de Resíduos (CGRs) da Estre, maior empresa de serviços ambientais do Brasil, receberam avaliação positiva no índice de Qualidade de Aterros de Resíduos (IQR) elaborado pela Companhia Ambiental do Estado de S. Paulo (Cetesb) e divulgado no Inventário Estadual de Resíduos Sólidos Urbanos 2014. Dos oito empreendimentos da companhia no estado (considerando os aterros de operação exclusiva da Estre e os que a companhia tem participação acionária) quatro receberam nota máxima (10) e os outros quatro foram classificados acima de 9.

O inventário analisou as condições da destinação final dos resíduos sólidos urbanos dos 645 municípios paulistas. O CGR Paulínia, que recebe os resíduos de 16 cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC), foi avaliado em 9,8 pelo órgão ambiental.


Elaborado a partir de inspeções “in loco” da Cetesb nas áreas de destinação, o IQR considera uma série de fatores, como estrutura de proteção ambiental dos empreendimentos, características do espaço, dimensões da frente de trabalho (área na qual os resíduos são compactados) e outros. A partir da pontuação obtida nos diversos indicadores, os aterros são classificados em dois tipos de avaliações: condições inadequadas (de 0 a 7) e condições adequadas (de 7,1 a 10). Os demais CGRs da Estre tiveram a seguinte avaliação: Guatapará 10; Jardinópolis 10; Piratininga 10; Tremembé 10; Catanduva 9,6; Santos 9,5; e Itapevi 9,1.

A Estre utiliza tecnologia de ponta na construção e operação de seus CGRs, que contam com  sistemas de alta eficiência para impermeabilização do solo; drenagem e coleta de líquidos percolados (chorume); drenagem e tratamento de gases de efeito estufa; monitoramento geotécnico, controle ambiental de fauna e flora; e controle laboratorial das cargas recebidas. Os empreendimentos também são certificados pela ISO 14.001, que atesta a responsabilidade ambiental. A empresa gerencia cerca 14 milhões de toneladas de resíduos por ano.

Região Metropolitana de Campinas

Das 20 cidades que compõem a Região Metropolitana de Campinas, 16 delas descartam seus resíduos no Centro de Gerenciamento de Resíduos da Estre, em Paulínia. Com esse procedimento, além de se adequarem às normas dos órgãos ambientais, essas cidades também colaboraram para a melhoria na destinação do lixo no estado de São Paulo. Atualmente, dos 645 municípios, 615 (95,85%) estão dentro das normas pelo estudo apresentado pela Cetesb.

Em 2011, o total de cidades era de 492, com um percentual de 76,3%. Ainda não atendendo às exigências, 27 cidades dispõem os resíduos sólidos urbanos em condições inadequadas, com locais de destinação final apresentando problemas como a presença de vetores de doenças, falta de controle operacional e outros.
 
Sobre a Estre
 
A Estre é a maior empresa de serviços ambientais do Brasil, atuando em toda a cadeia – coleta, transporte, valorização e tratamento. Reconhecida por ser inovadora e moderna, a Estre atua com rigor técnico e profundo respeito ao meio ambiente. Seus quatro pilares de atuação são coleta e transporte, valorização, tratamento e óleo e gás. Está presente nos principais mercados do Brasil, em Buenos Aires (Argentina) e Bogotá (Colômbia). Patrocina o Instituto Estre, que leva conceitos de educação ambiental a milhares de crianças e promove o reflorestamento.
 
Fonte: Assessoria de Imprensa da Estre Ambiental
Foto: Divulgação

Comentar