O ex-vice-prefeito Bonavita, presidente municipal do PTB, nega ter mandado a vereadora segurar o PL 11/2015

Da Redação
09/04/2015 15:27:00
O ex-vice-prefeito Bonavita, presidente municipal do PTB, nega ter mandado a vereadora segurar o PL 11/2015

[imagem] A vereadora Maria das Mercês Rosa Fraga, a Mercedes (PTB), impediu a segunda e última votação do Projeto de Lei 11/2015, que autoriza o prefeito José Pavan Junior (PSB) repassar R$ 1.104.002,56, em subvenções sociais, à cinco entidades do município: Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Paulínia, Casa do Menor, Fundação Padre Euclides Nunes, Associação Viva Brasil e Paulínia Racing Bicicross. Na primeira sessão extraordinária de hoje (9), convocada pelo 2º Secretaria da Mesa Diretora da Câmara, Tguila Paes (PRTB), os vereadores aprovaram apenas a legalidade da proposta, enquanto o mérito (segunda e última discussão) deverá ser votado na próxima sessão ordinária, dia 14. 


Integrante da Comissão de Obras e Serviços Públicos, no lugar de Marcos Roberto Bolonhezi, o Marquinho Fiorella (PP), que assumiu a Presidência da Casa, devido o afastamento do titular Sandro Caprino (PRB), Mercedes (PTB) alegou não ter tido tempo para analisar o projeto, que está na Casa desde o dia 1º desse mês. A sessão chegou a ser interrompida por cinco minutos, os vereadores conversaram com a petebista, mas ela foi irredutível e não liberou as subvenções. Assim, o presidente Fiorella (PP) ficou impedindo de convocar uma segunda extraordinária, na sequência, para finalizar a votação do projeto.

“A vereadora Mercedes patinou na largada. Despreparada para ser uma representante do povo”, comentou Valmir Brustolin, presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Paulínia, uma das entidades prejudicadas. Mercedes (PTB) assumiu no dia 31 de março, no lugar do vereador afastado Sandro Caprino (PRB). Em seu discurso de posse, na Tribuna da Câmara, a petebista disse que não iria legislar para um grupo político, mas sim pela população. 

Política 

A petebista disputou a Câmara, em 2012, pela coligação PMDB/PTB/PRB/PHS, partidos da coligação majoritária “Sorria Paulínia”, dos ex-prefeitos Edson Moura e Edson Moura Junior. O presidente do PTB municipal, partido de Mercedes, é o ex-vice-prefeito Francisco Almeida Bonavita Barros (PTB), que teria, segundo informações obtidas pelo Correio Paulinense Online, ligado para a vereadora, durante a sessão extraordinária de hoje (9), pedindo para ela não ceder às pressões e manter o projeto das subvenções parado na Comissão de Obras e Serviços Públicos. 

Entramos em contato com Bonavita (PTB), que confirmou ter falado com a vereadora, antes da sessão extraordinária de hoje (9), mas explicou o teor da conversa. "A vereadora me pediu orientação sobre as subvenções e como presidente do partido disse que ela deveria tomar a decisão, independente de qual fosse, com segurança. Se ela se sentisse segura para liberar o projeto que assim o fizesse, caso contrário, pedisse mais um tempo para conhecer melhor a matéria e decidir com conhecimento”, afirmou o petebista e complementou: “Porém, jamais disse faça isso ou aquilo, pois este não é o meu perfil e não agiria assim com nenhum vereador que me pediu ou me peça orientação, independente de quem seja”. 

Mercedes (PTB) foi Assessora Especial do prefeito cassado Edson Moura Junior (PMDB), que, além das várias cassações pela Justiça Eleitoral, ficou marcado por ter perseguido politicamente entidades sociais do município, como o Caco (Centro de Ação Comunitária), que foi à falência, após 37 anos de relevantes serviços prestados; a Associação para a Infância e Juventude (AIJ), que reduziu 95% do atendimento à população carente, por falta de dinheiro; a APAE, Casa do Menor, AUPACC, Lar São Francisco de Assis, entre outras, que tiveram as subvenções cortadas pelo prefeito cassado, em até 85% do valor que recebiam.

Tentamos falar com a vereadora Mercedes (PTB), mas não conseguimos localizá-la. 

Foto: Reprodução/Internet

Comentar