De acordo com balancete divulgado pela administração atual, no Semanário Oficial da cidade, as dívidas já foram...

Da Redação
15/03/2015 15:10:00
De acordo com balancete divulgado pela administração atual, no Semanário Oficial da cidade, as dívidas já foram pagas

[imagem] A relação de pagamentos efetuados pela Prefeitura de Paulínia no mês de fevereiro, divulgada sexta-feira (13) no Semanário Oficial, mostra que o município devia R$ 297.045,37 de gás, telefone e merenda escolar. Segundo a Secretaria de Finanças e Administração, as empresas Consigaz, Telefônica e F. G. Junior ameaçaram cortar os serviços, caso a dívida não fosse paga. No total, o ex-prefeito Edson Moura Junior (PMDB) deixou de pagar 40 notas fiscais, emitidas pelas empresas.


Os fornecedores de gás e telefone, para as áreas de Saúde e Educação, estavam sem receber há 52 e 60 dias, respectivamente, segundo informou a Secretaria de Finanças.  De acordo com os pagamentos divulgados, Consigaz, Telefônica e F. G. Junior receberam entre os dias 20 e 27 do mês passado e os serviços já estão sendo prestados normalmente.

Bolsas de estudo

Ainda de acordo com a Prefeitura de Paulínia, 18 instituições de ensinos, onde bolsistas subsidiados pelo município estudam, receberam, juntas, R$ 239.352,79, referentes à mensalidades não pagas pelo ex-prefeito Edson Moura Junior (PMDB). Além disso, a atual administração pagou, também em fevereiro, mais R$ 345.211,90 de bolsas de estudo, totalizando R$ 584.564,69. Os pagamentos foram realizados entre os dias 23 e 27, de acordo com o Semanário Oficial do Município.

Total do mês

Entre os mais diversos tipos de dívidas deixadas pela administração passada e as despesas correntes do mês, a Secretaria de Finanças informou que, em fevereiro, o município pagou um total de R$ 29.622. 102, 62 (vinte e nove milhões, seiscentos e vinte e dois mil, cento e dois reais e sessenta e dois centavos). 


Foto: Reprodução/Semanário Oficial de Paulínia

Comentar