A secretária da pasta pediu à Educação cola, sacos plásticos, fitas, tintas e pincéis, entre outros...

Da Redação
09/01/2015 14:50:00
A secretária da pasta pediu à Educação cola, sacos plásticos, fitas, tintas e pincéis, entre outros materiais, para a oficina de férias das crianças abrigadas

[imagem] Em dezembro passado, a Secretária de Promoção e Desenvolvimento Social (Seprodes) de Paulínia, Clélia Sandra Albuquerque Moraes, pediu ao Departamento de Educação Fundamental (DEF) da Secretaria Municipal de Educação,  a doação de vários materiais para serem utilizados nas oficinas de férias das crianças residentes nos dois abrigos municipais, sob a responsabilidade da pasta social. 


Na lista encaminha à Antônia G. Oliveira, diretora do DEF, continha nove itens: cola de tecidos, bastão de cola quente, sacos transparentes, fitas de cetim, tintas, pincéis, brochas, argolas, miçangas ou perolas. O pedido foi repassado às diretoras das EMEF’s, que deveriam doar os materiais. Entretanto, nossa reportagem conversou com a diretora de uma EMEF e, segundo ela, a escola não pôde contribuir. “No ano passado não recebemos nenhum material. O que a escola tem foi comprado com dinheiro do governo federal e também da Associação de Pais e Mestre”, afirmou ela e complementou: “Acho que nenhuma outra escola pôde contribuir, por estarem na mesma situação”. 

No ano passado, o orçamento da Secretaria de Promoção e Desenvolvimento Social (Seprodes), que administra os abrigos das crianças, foi de R$ 118. 281.060,00 (cento e dezoito milhões, duzentos e oitenta e um mil e sessenta reais).  

Foto: CMP/Claudia Arantes

Comentar